Livros de Javier Cercas

Javier Cercas

Javier Cercas

Todos os dias muitos internautas perguntam sobre os "livros de Javier Cercas", e os principais resultados são sobre Soldados de Salamina (2001). Este romance é o quarto apresentado pelo escritor e é responsável por um notável impulso em sua carreira. Com ele obteve o reconhecimento da crítica literária, obtendo excelentes comentários. A este respeito, Mario Vargas Llosa afirmou: "um dos grandes romances do nosso tempo."

O autor caracterizou-se por lidar com uma narrativa robusta em seus romances, nos quais misturou com maestria a história com a ficção. Apesar de apresentar sua primeira obra em 1987, seu reconhecimento não chegou até o início do século XXI.. Deve-se notar que durante aquele longo período nas sombras, um grande amigo acreditou fervorosamente nele. Nada mais nada menos do que o escritor chileno Roberto Bolaño, que afirma que Javier é extremamente talentoso. Hoje, o aperfeiçoamento do escritor espanhol se tornou uma prova confiável de que Bolaño não estava errado.

Alguns dados biográficos de Javier Cercas

Infância e estudos

O escritor nasceu na segunda-feira, dia 16 de abril de 1962, na pequena localidade de Ibahernando, na província de Cáceres (Extremadura). Ele foi batizado como José Javier Cercas Mena. Ele viveu seus primeiros 48 meses em sua cidade natal, então seu grupo familiar mudou-se para Gerona. Apesar do distanciamento, Cercas não perdeu o vínculo com seu lugar de origem, mas o visitou várias vezes durante sua juventude para férias.

Desde muito jovem demonstrou interesse pela literatura, o que o levou a estudar Filologia Hispânica na Universidade Autônoma de Barcelona. Após a licenciatura em 1985, optou por fazer o doutoramento no mesmo ramo da Universidade de Barcelona, ​​que o obteria anos mais tarde.

Obra literária e princípios

Em 1989 começou como professor na Universidade de Gerona, dando aulas de literatura espanhola. Naquela época, o escritor havia apresentado suas duas primeiras obras, O celular (1987) y O inquilino (1989). Além de seu trabalho como educador e escritor, Javier Cercas já escreveu diversos artigos e resenhas para diversos jornais. De lá para cá, tem feito contribuições para a imprensa catalã, bem como algumas publicações para o jornal. El País.

Após o sucesso de seu quarto romance, Soldados de Salamina (2001), o escritor publicou 6 títulos adicionais. Esses incluem: A velocidade da luz (2005) As leis da fronteira (2012) O impostor (2014) y Terra Alta (2019). Com eles tem mantido boa reputação e reputação perante seus leitores, bem como o reconhecimento de diversos professores. A estimativa é que até 2021 ele apresente sua obra número 11, que terá o nome de: Independência

Livros de Javier Cercas

Soldados de Salamina (2001)

É o 4º romance publicado pelo escritor, que o premiou reconhecimento na Espanha e no mundo, sendo traduzido para mais de 20 idiomas. Nos primeiros anos conseguiu vender mais de 1 milhão de exemplares, o que permitiu ao romancista se dedicar exclusivamente à escrita. Além disso, o trabalho foi adaptado por David Trueba para o cinema e estreou em 2003.

Sinopse

Soldados de Salamina é um romance de testemunho em que a história interage com a ficção. É ambientado nos últimos meses da Guerra Civil Espanhola (1939) e apresenta o falangista Rafael Sánchez Mazas como personagem principal. O drama conta como algumas tropas republicanas que foram à fronteira em busca do exílio, atiraram em vários prisioneiros franquistas; Sánchez Maza conseguiu escapar desse massacre. Ao fugir, ele é interceptado por um soldado, que aponta sua arma para ele e, depois de encará-lo, poupa sua vida.

A história continua 60 anos depois, quando um escritor frustrado —Javier Cercas—, por acaso, fica sabendo da história. Fascinado e intrigado, ele começa a investigar profundamente o caso, encontrando diferentes incógnitas para resolver. Personagens como Roberto Bolaño intervêm na aventura, que incentiva Cercas a procurar o soldado que teve misericórdia de Sánchez Maza. Ao longo do caminho para encontrar o motivo do "ato de misericórdia", linha após linha se desenrola uma história cheia de emoção frenética que terá respostas incríveis, ou, talvez, inesperadas.

Alguns prêmios recebidos:

  • Prêmio Salambó Narrativa
  • Prêmio Cálamo 2001 (Livro do ano)
  • Prêmio Cidade de Barcelona
Folga Soldados de Salamina ...
Soldados de Salamina ...
Sem classificações

Anatomia de um instante (2009)

É uma crônica que descreve os eventos de 23F —um golpe frustrado na Espanha em 1981—. Este é considerado um livro único e fascinante. Após uma investigação exaustiva de Cercas, ele concluiu que um relato fictício não honraria o que aconteceu. O autor se concentrou em mostrar a cronologia do evento e revelar as causas que existiram para que ele ocorresse.

Argumento

Como o próprio nome indica, lembra um momento da história da Espanha, muito crucial, ocorrido na tarde de 23F, quando um grupo invadiu o Congresso dos Deputados. O escritor faz referência especial à posição do presidente Adolfo Suárez, que permaneceu imóvel em sua cadeira enquanto os projéteis do golpe ecoavam no anfiteatro.

Ao mesmo tempo, o Capitão General Gutiérrez Mellado —Vice Presidente— e Santiago Carrillo —Secretário Geral— mantiveram a mesma posição do Presidente, permaneceram imóveis enquanto os demais parlamentares buscavam desesperadamente refúgio. Sem perder os detalhes, esta crônica leva o leitor meticulosamente ao momento preciso do golpe. e seu impacto na história espanhola.

O monarca das sombras (2017)

Este é o nono romance do autor. Nele, Cercas optou mais uma vez por manter seu estilo narrativo clássico e usar a Guerra Civil Espanhola como cenário. Nesta ocasião, o autor decidiu contar a história de Manuel Mena —seu tio-avô materno—, que aos 17 anos se juntou a Franco. É do conhecimento público que os ancestrais de Cercas são falangistas, uma crença política da qual ele próprio difere. Por isso, escrever sobre este drama foi um desafio para o escritor e ao mesmo tempo uma reconciliação com o seu passado.

Argumento

Cercas - que atua como narrador no romance - descreve Manuel Mena, um alferes que se junta a uma tropa da unidade de assalto franquista. O jovem foi mortalmente ferido na Batalha do Ebro, após ter passado dois anos a lutar pela causa. A história contada pelo escritor é cheia de emoção, humor e ação. Deve-se notar que o próprio autor considera esta obra como: “o verdadeiro fim da trama de Soldados de Salamina".


O conteúdo do artigo segue nossos princípios de ética editorial. Para relatar um erro, clique Clique aqui.

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*

  1. Responsável pelos dados: Miguel Ángel Gatón
  2. Finalidade dos dados: Controle de SPAM, gerenciamento de comentários.
  3. Legitimação: Seu consentimento
  4. Comunicação de dados: Os dados não serão comunicados a terceiros, exceto por obrigação legal.
  5. Armazenamento de dados: banco de dados hospedado pela Occentus Networks (UE)
  6. Direitos: A qualquer momento você pode limitar, recuperar e excluir suas informações.