Camilo José Cela. Família de Pascual Duarte em 12 sentenças

Hoje Camilo José Cela Teria completado 102 anos, mas deixou-nos em 2002. No entanto, o mais universal escritor, jornalista, ensaísta, editor e académico galego e vencedor do prémio Prêmio Nobel em 1989 (e o Cervantes em 1995, entre muitos outros) continua a viver para a posteridade em todas as suas obras. Então eu lembro disso em um seleção de frases e passagens de Família de Pascual Duarte. A razão? Um fragmento chocante dessa obra marcou meu futuro leitor e escritor.

A razão

Estava em um daqueles livros de leitura (Senda, de Santillana) de não lembro exatamente o curso, talvez na 5ª ou 6ª série GBS. E quando, naqueles tempos pouca correção política e linguística e menos papel de cigarro, as crianças da escola liam tudo o que tínhamos que ler. Foi apenas um fragmento, talvez um dos mais difíceis dos muitos que tem Família de Pascual Duarte.

Possivelmente ficou na minha memória por causa da linguagem, tão adulta e áspera, e certamente por causa da imagem que recriei quando li. Eu sei o que é uma espingarda e como se mata com ela, também sei o que é ter um cachorro. Também marcou inconscientemente meu futuro eu como leitor e escritor, essa faceta da qual não sou estranho narrador de primeira pessoa masculino nem sua dureza ou ferocidade. Foi a cena em que Pascual Duarte atira na cadela dele.

12 frases de Família de Pascual Duarte

Então lá vai seleção de frase deste romance publicado em 1942, Um trabalhos de cúpula de seu autor, mas também da narrativa espanhola da século XX.

1.

Mata sem pensar, estou bem provado; às vezes, sem querer. Você se odeia, você se odeia intensamente, ferozmente, e você abre a navalha, e com ela bem aberta você chega, descalço, à cama onde o inimigo dorme.

2.

Todos os mortais têm o mesmo couro ao nascer e, no entanto, quando crescemos, o destino tem prazer em nos transformar como se fôssemos cera e em percorrer caminhos diferentes para o mesmo fim: a morte.

3.

Idéias que nos perturbam nunca chegam de repente; o súbito desaparece por alguns instantes, mas nos deixa, conforme avançamos, longos anos de vida pela frente. Os pensamentos que nos enlouquecem com a pior loucura, a da tristeza, sempre chegam aos poucos e como sem sentir, como sem sentir a névoa invade os campos, ou o consumo dos seios.

4.

O sol estava se pondo; seus últimos raios seriam cravados no triste cipreste, minha única companhia. Fazia calor; Alguns tremores percorreram todo o meu corpo; Eu não conseguia me mexer, fui pregado pelo olhar do lobo.

5.

Las cosas nunca son como a primera vista las figuramos, y así ocurre que cuando empezamos a verlas de cerca, cuando empezamos a trabajar sobre ellas, nos presentan tan raros y hasta tan desconocidos aspectos, que de la primera idea no nos dejan a veces ni a lembrança; isso acontece com os rostos que imaginamos.

6.

Não se acostuma com o infortúnio, acredite, porque sempre temos a ilusão de que aquele que estamos sofrendo o último tem que ser, embora mais tarde, com o passar do tempo, começemos a nos convencer - E com que tristeza! - que o pior ainda está para acontecer ...

7.

Eu estaria fazendo outra coisa, qualquer uma daquelas que a maioria dos homens faz - sem perceber - a maioria dos homens; Ele seria livre, como a maioria dos homens é livre - sem perceber também; Só Deus sabe quantos anos de vida pela frente, como eles têm - sem perceber que podem passá-los lentamente - a maioria dos homens ...

8.

É uma pena que as alegrias dos homens nunca saibam aonde nos levarão, porque se o fizéssemos, não há dúvida de que alguns desgostos que outros teriam para nos poupar; Digo isto porque a noite na casa do Galo terminou como o rosário da madrugada, por isso nenhum de nós soube parar a tempo. A coisa era muito simples, tão simples quanto as coisas que mais complicam nossas vidas sempre acabam sendo.

9.

Há muita diferença entre enfeitar suas carnes com blush e colônia, e fazer com tatuagens que ninguém precisa apagar depois.

10.

As maiores tragédias dos homens parecem chegar sem pensar, com seus passos, em um lobo cauteloso, para nos golpear com sua picada súbita e tortuosa como a dos escorpiões.

11.

Se a minha condição de homem me tivesse permitido perdoar, eu o teria perdoado, mas o mundo é como é e querer mover-se contra a corrente não passa de uma tentativa em vão.

12.

Ele me bateu de boca em boca, mas se tivéssemos acabado brigando, juro pela minha morte que o mataria antes que me tocasse. Queria me refrescar porque conhecia meu caráter e porque de homem para homem não é bom lutar de espingarda na mão quando o outro não tem.


O conteúdo do artigo segue nossos princípios de ética editorial. Para relatar um erro, clique Clique aqui.

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*

  1. Responsável pelos dados: Miguel Ángel Gatón
  2. Finalidade dos dados: Controle de SPAM, gerenciamento de comentários.
  3. Legitimação: Seu consentimento
  4. Comunicação de dados: Os dados não serão comunicados a terceiros, exceto por obrigação legal.
  5. Armazenamento de dados: banco de dados hospedado pela Occentus Networks (UE)
  6. Direitos: A qualquer momento você pode limitar, recuperar e excluir suas informações.