O longo caminho para casa

O longo caminho para casa

O longo caminho para casa

En O longo caminho para casa (1998), uma menina vivencia violência e maus-tratos no local originalmente destinado a lhe dar abrigo e segurança, ela parece perder tudo ... mas algo vai mudar. Esse é o prelúdio deste romance da autora americana Danielle Steel. O texto expõe a história de Gabrielle, uma menina com uma vida marcada pelo sofrimento.

Pelo exposto, a ideia de família e de lar adquire um significado muito diferente das crenças tradicionais. Apesar do forte testemunho do pequeno protagonista, este livro conquistou o coração de milhões de leitores. E é que entrar nessa história é encarnar as dificuldades e as injustiças, porém, a história também mostra como superar um contexto tão adverso.

Resumo O longo caminho para casa

As feridas

Como inferido nos parágrafos anteriores, o romance gira em torno da dor de uma garota fisicamente e psicologicamente ferida. Para mais inri, a menina de três anos se considera culpada do abuso, porque sua mãe violenta diz isso. Diante disso, o pai - por indiferença ou medo - não consegue conter as injustiças contra Gabriele.

Desta forma, com perseguições, espancamentos e insultos na ordem do dia, uma infância verdadeiramente traumática se desenrola. Conforme a menina cresce, a agressão física, verbal e psicológica também aumenta. Ao ponto que, Depois de dar uma surra quase fatal na menina, a mãe toma a decisão de deixar Gabrielle em um convento. Não sem antes prometer "Eu voltarei".

O longo caminho

No convento, a menina finalmente conhece o carinho e o bom trato, até então sem precedentes para ela. Já na adolescência, Gabrielle se apaixona por um padre muito jovem, experimentando assim seu primeiro amor por um homem. Infelizmente, o clérigo falece, por isso a tragédia atinge o coração da infeliz moça.

Nesse ponto, a menina mostra uma determinação louvável de não se deixar vencer pelo desânimo ou se deixar levar pela saudade. Apesar de todas as perdas dolorosas, a protagonista consegue curar suas feridas e seguir em frente. Finalmente, Gabrielle decide deixar o convento para se libertar do mundo exterior ... onde não faltam decepções, mas ela já sabe como lidar com elas.

Análise

estilo narrativo

A literatura de Danielle Steel pode ser distinguida pela profundidade psicológica de seus personagens (Este romance narrado na terceira pessoa não é exceção). Embora o New Yorker tenha sido classificado como escritor de romances de rosas, O longo caminho para casa não tem nenhuma relação com esse tópico. Pelo contrário, a crueza é o sentimento dominante em grande parte do desenvolvimento.

Consequentemente, a descrição vívida de toda a dor física e emocional sentida pelo pequeno protagonista é bastante chocante para o espectador. Não há fatores atenuantes para a trama, não importa quão jovem seja o personagem principal. Da mesma forma, por meio da voz de um narrador distante, o leitor reconhece o ambiente hostil de Gabrielle junto com algumas de suas confissões e intimidades.

Muito mais do que um romance sobre abuso infantil

A cena de boas-vindas é extremamente perturbadora: uma menina de três anos abusada pela mãe. A mulher tem a cumplicidade (involuntária?) De um pai incapaz de exercer sua função de protetor da família. Apesar deste “acolhimento” perturbador, o autor aos poucos consegue transmitir outras sensações.

Desta forma, Steel vai de uma entrada extremamente tensa para a evocação de sentimentos de esperança, mesmo em meio a infortúnios. (É aí que reside o inegável gancho gerado no público). Então, passagens aparecem com certas características delicadas, enquanto A tenacidade e força interior de Gabrielle são evidentes. Por isso, o leitor fica até a última página para saber seu destino.

Sobre a autora, Danielle Steel

Em 14 de agosto de 1947, a atual escritora Danielle Steel, reconhecida por vários de seus romances, nasceu na cidade de Nova York. De fato, Ela está entre as mais lidas nos Estados Unidos e atraiu a simpatia de seus leitores.. E isso não é incomum, o público se conecta facilmente com suas narrativas estreladas por personagens persistentes em face das experiências mais difíceis.

A difícil vida do autor

A biografia de Danielle Steel não é exatamente "um mar de rosas". Por meio de suas experiências, a origem de suas letras pode ser entendida de uma certa forma. Além da narrativa, o intelectual nova-iorquino também escreveu poesia e alguns livros de não ficção. Além disso, em 2003 ele abriu uma galeria para apoiar jovens artistas emergentes.

Além disso, Steel teve uma vida muito particular, marcada por contratempos ao nível do companheiro e da família (deixou para trás cinco casamentos). No entanto, ela conseguiu superar todos os obstáculos, na verdade, ela tirou proveito criativo e comercial dessas situações por meio da escrita. No momento, o autor americano tem uma excelente reputação literária nacional e internacionalmente.

Uma vida inteira ligada à escrita

Danielle Steel começou a escrever desde muito cedo; Já na adolescência, ele publicou vários ensaios poéticos (publicados várias décadas depois). Mais adiante —Com 18 anos— terminou seu primeiro romance, embora, semelhante à sua poesia, ele publicou depois de muitos anos.

Com o passar do tempo, Steel conseguiu publicar mais de oitenta livros, alguns com recordes de vendas ou primeiros lugares de best-sellers. Como se não bastasse, Casa del Libro a avalia como a autora mais lida do mundo, com mais de 800 milhões de exemplares vendidos. Junto com isso, ela é reconhecida como uma criadora prolífica e original; Um conto de fadas (2019) é sua publicação mais recente.

Infância trágica como tema central

Como o protagonista de O longo caminho para casa, Danielle Steel sofreu alguns eventos traumáticos durante sua infância. Portanto, a infância representou para ela um grande tema literário e de vida, principalmente após a perda de um filho (Nicolau). Ele sofria de transtornos mentais até se suicidar em 1997. Após a morte de seu filho, Steel postou Sua luz interior.

Publicado em outubro de 1998, Sua luz brilhante -em inglês- foi um de seus títulos de maior sucesso editorial. Nesse mesmo ano, o Steel lançou O longo caminho para casa (Maio) e O clone (Julho). Agora, esses dois últimos textos obtiveram bom desempenho de negócios, mas não comparável à categoria de best-sellers realizada pelos seguintes livros:

Alguns dos livros mais vendidos de Gabrielle Steel

  • caleidoscópio (Caleidoscópio, 1987)
  • Zoya (1988)
  • Mensagem de Nam (Mensagem do Nam, 1990)
  • Jóias (Jóias, 1992)
  • O presente (The Gift 1994)
  • A honra do silêncio (Honra Silenciosa, 1996)
  • Um porto seguro (Porto seguro, 2003)
  • ecos (Echoes, 2004)
  • Azul (2017)

O conteúdo do artigo segue nossos princípios de Ética editorial. Para relatar um erro, clique Clique aqui.

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

*

*

  1. Responsável pelos dados: Miguel Ángel Gatón
  2. Finalidade dos dados: Controle de SPAM, gerenciamento de comentários.
  3. Legitimação: Seu consentimento
  4. Comunicação de dados: Os dados não serão comunicados a terceiros, exceto por obrigação legal.
  5. Armazenamento de dados: banco de dados hospedado pela Occentus Networks (UE)
  6. Direitos: A qualquer momento você pode limitar, recuperar e excluir suas informações.

bool (verdadeiro)