150º aniversário do nascimento de Rubén Darío

Hoje, 18 de janeiro, comemora-se 150 anos de nascimento de Rubén Darío, poeta nicaraguense. O modernismo consolidou-se definitivamente com a sua figura e dada a sua grande importância no mundo da poesia, queremos oferecer-lhe esta pequena homenagem na Actualidad Literatura, analisando brevemente três das suas obras mais importantes: "Azul", "prosa profana" y "Canções de vida e esperança".

Para uma versão mais detalhada de sua vida e obra, você pode ler o biografia de Rubén Darío no link que acabamos de deixar para você. Esperamos que você goste!

"Azul"

Este trabalho foi publicado em 1888. É um conjunto de contos, contos e poemas. Seu título tem caráter simbólico para o poeta, pois representa o ideal, o sonho e a arte a que Darío se entrega com seus escritos. Aqui está um pequeno trecho dele:

DE INVERNO

Nas horas de inverno, olhe para Carolina.
Meio encolhido, descanse no sofá,
envolta em seu casaco de zibelina
e não muito longe do fogo que brilha na sala.

O fino angorá branco ao lado dela reclina,
escovando o focinho da saia de Aleçón,
não muito longe de jarras da china china
essa metade esconde uma tela de seda do Japão.

Com seus filtros sutis, um doce sonho a invade:
Entro, sem fazer barulho: coloco meu casaco cinza;
Vou beijar o rosto dela, rosado e lisonjeiro

como uma rosa vermelha que era uma flor-de-lis.
Abra os olhos; olhe para mim com seu olhar sorridente,
e enquanto a neve cai do céu de Paris.

"Prosa profana"

Com este livro, o Modernismo de Rubén Darío atinge o seu limite e atinge a maturidade. Nele você pode ver um importante revolução métrica, recriando tematicamente em um mundo de fantasia e beleza, onde podem ser vistos desde cisnes a princesas, passando por certos seres mitológicos. Também fala sobre vida, história e, claro, literatura:

DIZ MEU

- Minha pobre alma pálida
Foi uma crisálida.
Então borboleta
Cor de rosa.
.
. . . Um zéfiro inquieto
Ele contou meu segredo ...
-Você aprendeu seu segredo um dia?
.
. . . Oh meu!
Seu segredo é um
Melodia em um raio de lua ...
-Uma melodia?

"Canções de vida e esperança"

Este livro publicado em 1905, supõe uma mudança transcendental na trajetória do poeta nicaraguense. É um trabalho reflexivo cheio de nostalgia e melancolia. Nele, o autor acentua o tom de revisão de sua própria vida. Pode ser visto neste próximo poema, onde cujo título ("Fatal"), já anuncia uma visão pessimista, a angústia do autor se manifesta em sua sensibilidade ao sofrimento. Portanto, o que essa capacidade não representa, ou seja, o humano, não é sinônimo de felicidade:

FATAL

Abençoada é a árvore, que dificilmente é sensível,
e mais a pedra dura porque não parece mais,
porque não há dor maior do que a dor de estar vivo
nem maior tristeza do que a vida consciente.

Ser, e não saber nada, e estar sem rumo,
e o medo de ter sido e um terror futuro ...
E o terror seguro de estar morto amanhã,
e sofrer pela vida e pela sombra e por

o que não sabemos e dificilmente suspeitamos,
e a carne que tenta com seus cachos frescos,
e o túmulo que espera com seus buquês fúnebres
e não saber para onde vamos,
ou de onde viemos! ...

Não poderíamos falar do nascimento deste poeta sem citar o que o tornou grande e o que nos fez lembrar dele hoje após tantos anos de sua morte: suas letras.


O conteúdo do artigo segue nossos princípios de ética editorial. Para relatar um erro, clique Clique aqui.

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*

  1. Responsável pelos dados: Miguel Ángel Gatón
  2. Finalidade dos dados: Controle de SPAM, gerenciamento de comentários.
  3. Legitimação: Seu consentimento
  4. Comunicação de dados: Os dados não serão comunicados a terceiros, exceto por obrigação legal.
  5. Armazenamento de dados: banco de dados hospedado pela Occentus Networks (UE)
  6. Direitos: A qualquer momento você pode limitar, recuperar e excluir suas informações.