Sempre Don Juan Tenorio, o clássico essencial dessas datas

Poster de Don juan tenorio (1922) por Ricardo de Baños.

Um ano mais Eu não dou trégua às abóboras estrangeiras. Nem toda aquela parafernália de morcegos, teias de aranha e casas mal-assombradas que invadem lojas e bares. Nem às festas escolares de fantasias e fantasmas de bruxas em miniatura (alguns então sonham ...). Não estou indo com os tempos nem politicamente correto porque fiquei com ele, com Dom Juan Tenorio.. Com o agora insultado (ou reinterpretado) mito da caveira mais ignominiosa e desonesta, mas também das mais apaixonadas e redimidas.

dom Jose Zorrilla escreveu sua história em 1844, que te inspirou O Malandro de Sevilha de 1630, atribuído a Tirso de Molina. E é o que temos que ler e principalmente ver representado nas próximas datas. Eu sei que minha luta é uma luta perdida, mas Vou me esforçar para lutar todos os anos para continuar dando-lhe seu destaque. Há muito tempo, os alunos tinham que aprender e recitar. Agora ... é agora. Bem, eu volto todo final de outubro para a pousada Laurel para encontrá-lo escrevendo sua carta. Estes são alguns de seus versos mais inesquecíveis.

DOM JUAN

Como gritam esses desgraçados!

Mas um raio ruim me quebrou

sim na conclusão da carta

eles não pagam caro por seus gritos!

***

Aqui está don Juan Tenorio

e não há homem para ele.

Da princesa arrogante

para aquele que pesca em um barco mau,

não há nenhuma mulher que eu não assine,

e qualquer empresa cobre

se é em ouro ou em valor.

Procure por ele os rebeldes;

feche os jogadores;

que se gaba de cortá-lo,

Vamos ver se tem alguem que o supera

no jogo, na luta ou no amor.

***

Onde quer que eu fosse

a razão pela qual eu atropelei

a virtude de que zombei,

Eu zombei da justiça

Já vendi mulheres.

Eu desci para as cabines,

Subi aos palácios,

Eu escalei os claustros

e em todos os lugares que eu saí

memória amarga de mim.

***

Eu gritei para o céu, e ele não me ouviu.

Mas se suas portas me fecham,

dos meus passos na terra

responda céu, não eu.

***

Afaste-se, pedra fingida!
Solte, solte essa mão
que ainda há o último grão
no relógio da minha vida.
Deixe de lado, se for verdade
do que um ponto de contrição
dar uma salvação para a alma
de uma eternidade,
Eu, santo Deus, acredito em você;
se for meu mal inédito,
sua misericórdia é infinita ...
Senhor, tenha piedade de mim!

Com DON LUIS

DOM LUIS

Por Deus você é um homem estranho!

Quantos dias você usa

em cada mulher que você ama?

DOM JUAN

Partem os dias do ano

entre os quais você encontra lá.

Um para fazê-los se apaixonar,

outro para pegá-los,

outro para abandoná-los,

dois para substituí-los

e uma hora para esquecê-los.

Com DON DIEGO

MR. DIEGO

Você me mata ... Mais eu te perdôo

de Deus em santo julgamento.

DOM JUAN

Longo prazo, você me coloca.

(Embora eu prefira sempre a versão de Tirso de Molina onde o Malandro dizia "Há quanto tempo você confia em mim!").

Com DOÑA INÉS

DOM JUAN

Ah! Não é verdade, anjo do amor,

que nesta costa isolada

mais pura a lua brilha

e você respira melhor?

Essa aura que vagueia, preenche

dos cheiros simples

das flores camponesas

Aquela praia agradável brota:

aquela água limpa e serena

isso passa sem medo

o barco do pescador

que espera cantando o dia,

Não é verdade, minha pomba,

o que você está respirando amor

 

***

SRA. INES:

Eu não sei ... Desde que eu o vi,

Bridget minha, e o nome dela

você me disse que eu tenho aquele homem

sempre na minha frente.

Em todos os lugares que estou distraído

com sua memória agradável,

e se eu o perder por um momento,

em sua memória eu recaio.

Não sei que fascínio

em meus sentidos isso exerce,

que sempre me torce em direção a ele

mente e coração:

e aqui e no oratório

e em todos os lugares eu aviso

que pensar diverte [...].

***

SRA. INES:

Cale a boca, pelo amor de Deus, oh, Dom Juan!

que eu não serei capaz de resistir

muito tempo sem morrer

então nunca me senti ansioso.

Ah! Fique em silêncio por compaixão,

que ouvir você me parece

que meu cérebro fica louco

meu coração queima.

Ah! Você me deu de beber

um filtro infernal, sem dúvida,

isso ajuda você a se render

a virtude da mulher [...].

 ***

DON JUAN:

Minha alma! Essa palavra

meu ser muda o caminho,

o que eu posso fazer

até que o Éden se abra para mim.

Não é, dona Inês, Satanás

quem coloca esse amor em mim;

é Deus quem quer para você

ganhe-me para Ele talvez.

Não, o amor que é estimado hoje

no meu coração mortal

não é um amor terreno

como o que senti até agora;

não aquela faísca passageira

que qualquer rajada se apaga;

é o fogo que engole

quanto ele vê, imenso, voraz.

Então, livre-se de sua ansiedade

bela doña Inés,

porque me sinto aos seus pés

ainda capaz de virtude.

Sim, irei meu orgulho prostrar-se

antes do bom comandante,

e ou ele vai me dar o seu amor,

ou ele terá que me matar.

***


O conteúdo do artigo segue nossos princípios de Ética editorial. Para relatar um erro, clique Clique aqui.

Um comentário deixe o seu

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*

  1. Responsável pelos dados: Miguel Ángel Gatón
  2. Finalidade dos dados: Controle de SPAM, gerenciamento de comentários.
  3. Legitimação: Seu consentimento
  4. Comunicação de dados: Os dados não serão comunicados a terceiros, exceto por obrigação legal.
  5. Armazenamento de dados: banco de dados hospedado pela Occentus Networks (UE)
  6. Direitos: A qualquer momento você pode limitar, recuperar e excluir suas informações.

  1.   Maria ines dito

    Foi um prazer ler… obrigado!