Rupi Kaur é feminismo, poesia e Instagram

Rupee Kaur

Fotografia: musa narrativa

Há alguns anos, as redes sociais vêm anunciando o que muitos já suspeitavam: novas formas de fazer literatura e chegar aos leitores de forma mais democrática. O movimento implantado por redes como Facebook, Twitter ou, principalmente, Instagram resultou em um novo design, o "Instapoet", de cuja tribo o poeta canadense Rupee Kaur é a rainha-mãe depois de transformar suas publicações em dois livros best-sellers. Uma realidade que não só confirma a renovação da literatura, mas também o retorno da poesia como o gênero "mainstream" que clamava há anos.

Rupi Kaur (e a menstruação mais famosa do milênio)

Nascida em 5 de outubro de 1992, menina de família de religião sikh, no estado de Punjab, na Índia, recebeu os nomes de Rupi (deusa da beleza) e Kaur (sempre pura). Dois nomes que pareciam anunciar a libertação que esta menina, que emigrou com os pais para o Canadá aos 4 anos, prometeu a uma longa geração de condenadas e uma poesia vista no século passado como um gênero menos comercial que outras como o romance.

Desde pequena, Rupi Kaur escrevia e desenhava, concebendo as duas artes como um "todo". Na escola ela era a garota estranha, aquela que preferia passar o tempo entre escritos e fotos que buscavam mudar certas perspectivas e desarmar alguns tabus universais. Em 2009, Kaur começou a recitar no Punjab Community Health Centre em Malton, Ontário, e em 2013 a escrever poemas na rede social Tumblr. A explosão viria quando a jovem criou uma conta no Instagram em 2014 e depois tudo mudou.

Os poemas de Rupi Kaur eles se referem a tópicos como feminismo, violência, imigração ou amor de uma forma nunca vista antes. Denotando uma sensibilidade singular que usa elementos universais para tocar um acorde e simplificar conceitos que têm causado alguns dos grandes conflitos da história, Kaur passou a publicar parte de sua poesia no Instagram.

No entanto, a fama viria para ele com uma fotografia, uma na qual a jovem aparecia deitada de costas na cama, deixando um rastro de sangue normal.

obrigado @instagram por me fornecer a resposta exata para a crítica que meu trabalho foi criado. você deletou a foto de uma mulher que está totalmente coberta e menstruada, afirmando que isso vai contra as diretrizes da comunidade quando suas diretrizes indicam que não é nada além de aceitável. a garota está totalmente vestida. a foto é minha. não está atacando um determinado grupo. nem é spam. e porque não viola essas diretrizes, irei postá-lo novamente. Não vou me desculpar por não alimentar o ego e o orgulho da sociedade misógina, que terá meu corpo de cueca, mas não ficará bem com um pequeno vazamento. quando suas páginas são preenchidas com inúmeras fotos / relatos onde mulheres (muitas delas menores de idade) são objetivadas. pornificado. e tratados menos do que humanos. Obrigada. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀ a ⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀ ⠀ ⠀⠀⠀ ⠀ Esta imagem faz parte do meu projeto de fotosséries para o meu curso de retórica visual. você pode ver a série completa em rupikaur.com as fotos foram tiradas por mim e @ prabhkaur1 (e não. o sangue. não é real.) ⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀ ⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀ ⠀ sangro cada uma mês para ajudar a tornar a humanidade uma possibilidade. meu útero é o lar do divino. uma fonte de vida para nossa espécie. se eu escolher criar ou não. mas muito poucas vezes é visto dessa forma. nas civilizações mais antigas, esse sangue era considerado sagrado. em alguns ainda é. mas a maioria das pessoas. sociedades. e as comunidades evitam esse processo natural. alguns se sentem mais confortáveis ​​com a pornificação das mulheres. a sexualização das mulheres. a violência e degradação das mulheres do que isso. eles não podem se dar ao trabalho de expressar sua repulsa por tudo isso. mas ficará irritado e incomodado com isso. nós menstruamos e eles vêem isso como sujo. procurando atenção. doente. um fardo. como se esse processo fosse menos natural do que respirar. como se não fosse uma ponte entre este universo e o último. como se esse processo não fosse amor. trabalho. vida. altruísta e incrivelmente bela.

Um post compartilhado por rupi kaur (@rupikaur_) em

A fotografia, que faz parte do material de um ensaio fotográfico sobre preconceitos sobre a menstruação, foi censurada pelo Instagram, sendo devolvida ao autor logo em seguida. Até o momento, o instantâneo publicado em 2015 tem mais de 101 mil curtidas, sendo o ponto de partida para uma coleção de poemas que aos poucos se desvendou na rede social até virar dois livros.

Rupi Kaur: emocional como água

Leite e mel Rupi Kaur

Pouco antes da publicação de sua famosa fotografia, Rupi Kaur já havia publicado sua coleção de poemas em 2014 Leite e mel via Amazon. A própria autora desenhou também as capas e desenhos que acompanham cada um dos poemas do livro, divididos em quatro partes: "a dor", "o amor", "a quebra" e "a cura". Feminismo, estupro ou humilhação são os principais temas de um livro cujo sucesso chamou a atenção de Publicação Andrews McMeel, que publicou uma segunda edição no final de 2015. O resultado foi meio milhão de cópias vendidas apenas nos Estados Unidos e em # 1 no The New York Times.

Leite e mel seriam publicados logo depois na Espanha, na Espanha, sob o título Outras maneiras de usar a boca pela Espanha.

O sol e suas flores por Rupi Kaur

O sucesso do livro viria em um segundo, chamado O sol e suas flores, publicado em outubro de 2017 e já se tornou um dos favoritos deste autor. Precedida por uma meteórica campanha publicitária na conta do próprio autor no Instagram, a coleção de poemas trata de temas como imigração ou guerra, além dos temas emblemáticos da artista, que dividiu sua obra em cinco capítulos: «murcha», «queda», "enraizando", "nascendo" e "florescendo".

Emocional como a água, conforme definido em um dos poemas de The Sun & her Flowers, Rupi Kaur mudou as regras do jogo ao transformar uma rede social tão visual quanto o Instagram na vitrine perfeita para dar vida a uma poesia que ele não era passando por seus melhores momentos. Influenciado por autores como Alice Walker ou o poeta libanês Kahlil Gibran, Kaur também se inspira em sua cultura sikh, principalmente em suas leituras sagradas, para readaptar velhas histórias exóticas que tratam de temas universais sem esquecer aquele ponto mágico e trágico. Escrever é a arma de Kaur, sua maneira de canalizar episódios passados ​​e dar exemplo para o resto, como ela sugeriu durante uma entrevista para o jornal El Mundo:

«Quando comecei precisava me expressar, sair da dor que sentia por dentro, porque não era uma garota muito popular na escola; Eu era introvertido e eles costumavam mexer comigo. E escrever me ajudou. Tem sido uma ferramenta que me ajudou a curar feridas, mesmo que doesse. Para mim, escrever tem um grande poder catártico e libertador. Isso me ajudou a crescer. Aprendi, entre outras coisas, que a vida é uma dádiva, sim. Ela pode tirar tudo de você e ainda assim você estará disposto a amá-la.»

parte da poesia de amor em #thesunandherflowers foi diretamente inspirada na música folk punjabi em que cresci. esta música carrega tanto amor. anseio. e devoção. neste poema em particular, aumentei a inspiração ao ilustrar um épico punjabi muito famoso intitulado 'sohni-mahiwal', pintado pelo artista sikh do século 20 sobha singh. sobha singh produziu centenas de obras em sua vida, abordando de tudo, desde a história sikh até releituras históricas e épicos punjabi. posso dizer com segurança que a maioria das famílias punjabi e / ou sikhs possui seu trabalho. nós temos cinco! e agora de volta à história de 'sohni-mahiwal'. o conto que inspirou a pintura 🖼 'sohni-mahiwal' é um dos grandes romances trágicos da região do punjab. sohni é uma jovem que se apaixona por mahiwal. sua família a desaprova e a casa com outra pessoa. no entanto, sohni e mahiwal continuam a se encontrar. exceto que mahiwal vive do outro lado do rio. então, para vê-lo todas as noites, Sohni cruza o lendário rio chenab usando uma grande panela de barro para ajudá-la a se manter à tona. um dia, a cunhada de sohni descobre sobre suas reuniões e substitui a panela de sohni por uma não assada. naquela noite, quando Sohni atravessa o chenab para ver seu amante, o pote inacabado se dissolve e ela se afoga. quando mahiwal ouve gritos, ele corre para salvar Sohni, mas é tarde demais e ele também sofre o mesmo destino. Diz-se que sohni e mahiwal se reencontram apenas na morte. ~ imagino que neste poema em particular de #thesunandherflowers o personagem chega a uma praia para confessar um amor que não pode mais ser contido. imagino que os espíritos de sohni e mahiwal estejam aqui. enfeitando as águas que uma vez os levaram. cumprimentando cada amante que se aproxima para compartilhar sua história de coração aberto ♥ ️

Um post compartilhado por rupi kaur (@rupikaur_) em

A paixão de Kaur se tornou uma inspiração para novos autores e uma influência no mundo das letras. Sua turnê, que cobre o Canadá e os Estados Unidos e este mês vai pousar na Feira do Livro da cidade de Jaipur como a primeira parada de sua O passeio indiano, confirma o impacto desta jovem nas redes sociais, na poesia e, sobretudo, num feminismo em que algumas das grandes autoras deste milénio se aprofundaram ao longo destes anos.

Esperamos que a chegada de Rupi Kaur não sirva apenas para reduzir ao essencial alguns dos grandes males do nosso tempo, mas também para devolver a poesia ao lugar que merece e ver nas redes sociais a forma perfeita de expor o novo mundo ( e necessárias) formas de expressão.

Você leu alguma coisa de Rupi Kaur?


O conteúdo do artigo segue nossos princípios de ética editorial. Para relatar um erro, clique Clique aqui.

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*

  1. Responsável pelos dados: Miguel Ángel Gatón
  2. Finalidade dos dados: Controle de SPAM, gerenciamento de comentários.
  3. Legitimação: Seu consentimento
  4. Comunicação de dados: Os dados não serão comunicados a terceiros, exceto por obrigação legal.
  5. Armazenamento de dados: banco de dados hospedado pela Occentus Networks (UE)
  6. Direitos: A qualquer momento você pode limitar, recuperar e excluir suas informações.