Recomendado pelo RC: The Rise of Aurora West

A Ascensão de Aurora Oeste

E muitos de vocês vão dizer por isso que faço a revisão com o título em inglês. Pois é, justamente porque estou em agonia e não via a hora de lançá-lo em novembro. Momento Aurora Oeste, da mao de De bolso. Então, há alguns meses fiz minha reserva para comprar a edição original do Primeiro segundo quando foi colocado à venda no início de outubro. A Ascensão de Aurora Oeste funciona mais como spin-off de Battling Boy do que como uma prequela. Parece que Paul Pope, pai de criaturas e talento transbordante, planejou desde o início que Haggard West e sua pequena Aurora merecia mais espaço do que eles têm em Garoto Lutando. E pela fé eles têm nesta história que ele elabora junto com seu co-escritor JT Petty. O fato é que os fãs ficarão imensamente gratos por essa manobra, pois após a leitura A Ascensão de Aurora Oeste Só posso dizer que você não deve perder a edição em espanhol se não ousar com o inglês.

Da mesma forma, devemos ser gratos ao Papa por ter proposto David Rubin ser o responsável pela seção gráfica. El ourensano, eleito o melhor cartunista do ano na recente Conferência de Quadrinhos de Avilés por seu trabalho colossal em Beowulf, faz um trabalho extraordinário ao longo das 150 páginas que compõem este primeiro volume. Além do mais, eu diria que em alguns aspectos ele consegue mais com os personagens do que o próprio Pope. É perceptível que ele teve carta branca a fazer e desfazer em questão de narrativa e design de algumas páginas, onde fico sobretudo o bom, com a utilização de planos de detalhe e as emoções que o rosto de Aurora transmite Oeste, protagonista e comum fio desta história que sai do plano mais mitológico que tinha Menino lutando, para contar algo tão terreno como a relação entre uma filha e seu pai. Quem não quer comer algum Spoiler, embora eu tenha tentado mantê-los mínimos falando de detalhes ou generalidades muito específicos, que eu não clico Continue lendo. O resto de vocês estão convidados a fazê-lo.

A Ascensão da Aurora Oeste diga o que aconteceu em Arcópolis antes dos eventos que ocorreram em Menino lutando. Pope, Petty e Rubín nos mostram a vida da família West em vários momentos. Um antes e um depois marcados pelo fogo por um acontecimento crítico que muda a existência de pai e filha. Este momento nos permite ver a transformação de Haggard West de um herói científico na tradição de personagens como Doc Savage (com uma roupa de homenagem de tirar o chapéu), um modo de vigia noturno atormentado homem Morcego (o evento no beco, os sinos como sinal de alerta do contato com as autoridades ...). Aurora deixa de ser uma menina feliz com um desejo transbordante de descobrir coisas novas, para continuar a manter esse mesmo espírito curioso com seu pai, na luta contra os monstros que perseguem o que há de mais sagrado: os filhos. A única maneira que ela encontra para ficar ao lado de Haggard é continuar a tradição familiar, em um processo que a transforma de uma aprendiz em uma sucessora completa. E é que a parte final da aventura mais do que corresponde ao título deste trabalho.

Pope e Petty desenvolvem um enredo onde elementos de intriga, segredos de família e muita emoção se misturam em todos os níveis. Mas o melhor de tudo é que nos deparamos com uma história que tanto jovens como adultos podem desfrutar, com a dificuldade que isso sempre representa. Personagens como Croward ou o bagre anão (imagem ao vivo do Gremlins na minha mente) que trabalham para Medula, parecem saídos de uma série de desenhos animados ou de uma história. Também vemos novamente um importante secundário de Menino lutando como Sadisto e sua banda (um deles desempenha um papel essencial), Miss Grately ou o Capitão da Divisão 145. Os designs de Rubin ajudam muito a deixar o volume fresco, divertido e ter aquele tom adequado para qualquer faixa etária. O único requisito antes de ler Tele Rise of Aurora West é preparar-se para gostar da leitura sem restrições.

A primeira segunda edição é simples, mas muito agradável, além de barata para o bolso (por menos de € 8 em O Depositário de Livros) Muitas vezes esquecemos que os quadrinhos são fundamentalmente feitos para serem lidos, e nos deixamos levar pela beleza de um tarugo de capa dura que, às vezes, é complicado e desconfortável de manusear ao lê-lo sem parar. Esta edição original está em glorioso preto e branco, ao contrário do que li (que não vi) da que Debolsillo colocará à venda em algumas semanas, que também será em cores, mas mantendo um preço atraente. Não sei como vai ficar, mas confesso ter gostado das páginas como uma criança sem precisar de cor. Estaremos aguardando ansiosamente a continuação desta grande saga no segundo volume, A Queda da Casa do Oeste, embora antes da segunda parte de Menino lutando, com Pope recuperando sua faceta de autor completo.


O conteúdo do artigo segue nossos princípios de Ética editorial. Para relatar um erro, clique Clique aqui.

3 comentários, deixe o seu

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

*

*

  1. Responsável pelos dados: Miguel Ángel Gatón
  2. Finalidade dos dados: Controle de SPAM, gerenciamento de comentários.
  3. Legitimação: Seu consentimento
  4. Comunicação de dados: Os dados não serão comunicados a terceiros, exceto por obrigação legal.
  5. Armazenamento de dados: banco de dados hospedado pela Occentus Networks (UE)
  6. Direitos: A qualquer momento você pode limitar, recuperar e excluir suas informações.

  1.   David Rubin dito

    Olá, obrigado por esta ótima revisão!
    Escrevo apenas para comentar que, como coautor do livro, pelo que sei, a edição espanhola sairá igualmente em byn como a americana, que é também como concebi as páginas, sem cor.

    Saudações e obrigado!

    d.

  2.   José Angel Ares (@JoseAngelARES) dito

    Não confie nas informações que o Debolsillo divulga, que na época colocava que o BattlingBoy o tirou na B&N.

  3.   Roberto Corroto dito

    Quer dizer, apenas o contrário, não agora
    Que tecido!
    Obrigado Pater!

bool (verdadeiro)