O desaparecimento de Stephanie Mailer

O desaparecimento de Stephanie Mailer.

O desaparecimento de Stephanie Mailer.

Lançado em 2018, O desaparecimento de Stephanie Mailer Foi o livro mais notável do autor Joël Dicker. O jovem escritor suíço tornou mais uma vez claro seu próprio estilo, reconhecível apenas pela leitura de alguns parágrafos. Em um trabalho tão ou mais emocionante do que A verdade sobre o caso Harry Quebert, o que, após o sucesso retumbante obtido, foi um grande desafio.

Por consequência, O desaparecimento de Stephanie Mailer representa a confirmação de Dicker como o autor francófono mais proeminente de romances policiais do novo milênio. É um gênero narrativo que está presente desde a época de Sófocles e seu Édipo Rex. Embora seu verdadeiro "boom" tenha começado em meados do século XIX, nas mãos de Edgar Allan Poe e, mais tarde, de Agatha Christie.

Sobre o autor, Joël Dicker

Nascido em Genebra em 16 de junho de 1985, Joël Dicker Ele é filho de uma bibliotecária e de uma professora de francês. Isso - junto com a vida na ala de língua francesa da Suíça - condicionou sua preferência pela "língua do amor". Sua abordagem da escrita veio graças à sua paixão pelos animais.

Com 10 anos ele fundou The Gazette des Animaux (A revista animal); ele o dirigiu por sete anos. Mais tarde, ele entrou em um concurso com um conto chamado El Tigre. Segundo os jurados do concurso, era impossível que um texto tão bem elaborado fosse de autoria de alguém com apenas 19 anos. Por fim, o texto sobre o felino foi homenageado com o Prêmio Internacional para Jovens Autores Francófonos.

Os últimos dias de nossos pais y A verdade sobre o caso Harry Quebert

Em 2009, ele terminou o manuscrito de seu primeiro romance, Os últimos dias de nossos pais. Uma história de espionagem, com a qual, em 2010, ganhou o Prix de Écrivains Genevois (Prêmio de Escritores de Genebra). O título finalmente foi colocado à venda em 2012. No final desse mesmo ano, o "divisor de águas" da carreira incipiente de Dicker foi publicado: A verdade do caso Harry Quebert.

Traduzido em 33 idiomas, número um em vários mercados. A estreia na narração de histórias policiais do escritor genovês trouxe um novo ar a um subgênero que ficou órfão de surpresas por muito tempo. Além disso, foi a entrada de um novo detetive em uma lista estrelada por nomes como Sherlock Holmes ou Auguste Dupin, Marcus Goldman.

O desaparecimento de Stephanie Mailer, em poucas palavras

Você pode comprar o livro aqui: Nenhum produto encontrado.

Dois crimes não resolvidos, 20 anos de distância entre os dois e um único policial para esclarecer tudo: Jesse Rosenberg. Ele é um conhecido policial de Nova York desde 1994, quando, ainda novato, resolveu com seu parceiro Derek Scott um crime singular em The Hamptons, Long Island.

Joel Dicker.

Joel Dicker.

Quando você está prestes a se aposentar, Stephanie Hailer, uma jornalista sagaz, o confronta para dizer que seu primeiro caso não foi resolvido. Supostamente, ele teria cometido muitos erros que o levaram a fechar o arquivo sem encontrar o (real) culpado. Embora o detetive veterano não pareça se incomodar com essas observações, uma voz dentro dele o corrói.

Uma corrida contra o tempo

Finalmente, Rosenberg muda de ideia e decide investigar. Mas assim que tomou a decisão, seu acusador - que afirma ter em seu poder as provas sobre o verdadeiro perpetrador - desaparece sem deixar vestígios. Então começa uma corrida contra o tempo.

O policial deve resolver dois enigmas antes que suas credenciais sejam retiradas. Por isso, a linha narrativa corre paralelamente entre 1994 e 2014. Rosenberg quer se aposentar com a consciência em paz. Resgate-se, não importa o que aconteça ... já é tarde demais.

Muitos segredos, antes e depois (ou agora)

Uma característica inconfundível dos romances policiais de Dicker são seus personagens: todos eles conhecem algumas informações relevantes. Detalhes desconhecidos do protagonista da história e do público. En O desaparecimento de Stephanie Mailer minúcias e referências cruzadas fazem parte de duas épocas com mais coisas em comum do que aparenta.

A corrida frenética enfrentada por Rosenberg é o mesmo caminho traçado para os leitores chegarem ao fim de todos os mistérios. Para a última página, literalmente. Como o policial desavisado, as "testemunhas" dessa trama devem ter cuidado para não confundir nomes, datas e lugares. Caso contrário, torna-se impossível resolver todos os emaranhados para desvendar o mistério.

Comentários

Uma obra sublime?

O sucesso produzido por A verdade sobre o caso Harry Quebert afetou, para melhor e para pior, a resposta do público ao O desaparecimento de Stephanie Mailer. Por um lado, os editores ficaram extremamente satisfeitos porque, dado o pano de fundo mencionado, este romance tornou-se um sucesso comercial instantâneo. Antes mesmo de sua publicação, os números já estavam em verde.

Ou uma pequena obra?

Mas a resposta de boa parte do público acabou sendo bastante negativa. Os fãs de Dicker reconheceram as características de um autor capaz de ser arriscado e divertido em igual medida. Porém, dentro do próprio "fandom" havia inúmeras vozes de decepção, o que, eles chamaram a história de lenta, densa e implausível.

Apesar das opiniões de leitores insatisfeitos com O desaparecimento de Stephanie MailerA experiência menos traumática foi para aqueles que descobriram o escritor de língua francesa da moda com este romance. Porém, resenhas grandiosas ou muito entusiasmadas do romance são raras nos fóruns literários.

Citação de Joël Dicker.

Citação de Joël Dicker.

O dilema de (apenas) entreter

Este é um dilema que preocupa escritores e leitores. A questão é: há algo de errado em entreter? Os autores que apenas oferecem entretenimento ao seu público devem ser desprezados? É um assunto sem reações unânimes onde todas as posições são legítimas. No entanto, na arte em geral, divertir o público é muito mais difícil do que você pensa.

O "problema" é que as manifestações artísticas são extremamente pretensiosas. O "simplesmente divertir", da época de Édipo Rex, parece ser um caso desacreditado, dos bobos da corte. Mas muitos escritores ou artistas gostariam de ter essa capacidade. E, como no caso de Dicker, vendendo milhões de cópias no processo.


O conteúdo do artigo segue nossos princípios de Ética editorial. Para relatar um erro, clique Clique aqui.

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

*

*

  1. Responsável pelos dados: Miguel Ángel Gatón
  2. Finalidade dos dados: Controle de SPAM, gerenciamento de comentários.
  3. Legitimação: Seu consentimento
  4. Comunicação de dados: Os dados não serão comunicados a terceiros, exceto por obrigação legal.
  5. Armazenamento de dados: banco de dados hospedado pela Occentus Networks (UE)
  6. Direitos: A qualquer momento você pode limitar, recuperar e excluir suas informações.