Melhores livros de realismo mágico

Os melhores livros sobre realismo mágico

Embora existam muitos países e escritores que combinaram fantasia e realidade ao longo da história, o realismo mágico emergiu como a marca registrada da literatura latino-americana e mais tarde se expandiu para o resto do mundo. A capacidade de fundir o sono e a vida cotidiana por meio desses melhores livros de realismo mágico que nos devolvem às cidades de fantasmas errantes e famílias assombradas.

Pedro Páramo, de Juan Rulfo

Pedro Páramo por Juan Rulfo

Em 1953, o mexicano Juan Rulfo publicou uma série de histórias ambientadas na cidade fictícia de Comala sob o nome de El llanero en llamas. Um primeiro esboço do universo misterioso que abrange Pedro Páramo, um dos romances que cimentou o realismo mágico como gênero de massas e que foi escrito em apenas cinco meses pelo autor. Publicada em 1955, a história conta a chegada do jovem Juan Preciado para uma cidade em Comala onde seu pai, Pedro Páramo, reside. Silêncios nos recantos e velhas histórias de um povo passam a cimentar menos esta história tida como de os principais livros das letras latino-americanas.

Aura, de Carlos Fuentes

Aura de Carlos Fuentes

Ambientado na Cidade do México em 1962, aura segue os passos de Felipe Montero, um jovem historiador que decide aceitar a tarefa de terminar as memórias de um general que vive em sua própria casa. Durante meses, ele vai morar com sua esposa, Consuelo, e sua sobrinha, Aura, duas mulheres que vivem submersas na escuridão para não reconhecerem a casa que tanto lhes lembra o doente. Uma viagem hipnótica pelas paixões, tensões e intenções sombrias de seus personagens, onde não faltam ritos espiritualistas e paixões secretas. Um dos romances mais lembrados de Carlos Fuentes que se publicou em plena ebulição do realismo mágico.

Cem Anos de Solidão, de Gabriel García Márquez

Cem Anos de Solidão de Gabriel García Márquez

Dizem que quando Gabo escreveu esse romance, ele estava falido. Ele vendeu seu carro, refugiou-se em um apartamento na Cidade do México e, finalmente, enviou um manuscrito à editora Sudamericana em 1967. O que o Prêmio Nobel não previu foi o imenso sucesso que Cem Anos de Solidão experimentado durante as primeiras semanas de lançamento, muito menos a condição de obra-prima da literatura latino-americana que acabaria por alcançar. Raios-X de um continente de influências mágicas, familiares e estrangeiras, a história de a família Buendía e a cidade de Macondo tornou-se a pedra angular de um boom latino-americano que conquistou o mundo na década de 60.

A Casa dos Espíritos, de Isabel Allende

A casa dos espíritos de Isabel Allende

Chilena de nascimento e venezuelana de adoção, Allende sempre soube tecer as realidades de seu continente, e especificamente do Chile, combinando-as com a magia de um realismo mágico latente este romance foi publicado em 1982 com grande sucesso de crítica e público. A casa dos espíritos nos apresenta a as quatro gerações da família Trueba e suas histórias intercaladas com os eventos políticos que assolam o Chile pós-conial. Considerada a obra mais representativa do autor, a novela teve uma adaptação para o cinema em 1994, estrelado por Jeremy Irons, Meryl Streep e Antonio Banderas.

Como água para chocolate, de Laura Esquivel

Como água para chocolate de Laura Esquivel

Quando parecia que a "moda" do realismo mágico havia acabado, ele veio Como água para Chocolate para fornecer a cobertura necessária. Navegando na tradição mexicana para entrar em suas cozinhas e assobiar sua magia, romance de Laura Esquivel publicado em 1989 tornou-se um grande vendedor graças ao uso dos ingredientes certos: uma história de amor no México revolucionário, o drama de uma mulher que não tem o direito de se apaixonar e as melhores receitas mexicanas para conquistar amantes e leitores. A segunda parte do romance, Diário da tita, foi publicado em 2016.

Kafka on the Shore, de Haruki Murakami

Kafka na costa de Haruki Murakami

Sim, o realismo mágico representa as letras latino-americanas, mas isso não significa que outros autores ao redor do mundo não tenham adaptado a combinação de magia e realidade em seus escritos. O japonês Murakami é o melhor exemplo, dividindo sua bibliografia em romances íntimos e outros que jogam com universos metafísicos. Seu romance de 2002 Kafka na praia é possivelmente o romance que melhor evoca esse mundo fantástico através dos olhos de dois personagens e suas respectivas histórias: Kafka Tamura, um jovem de 15 anos que decide deixar a casa da família para se refugiar em uma biblioteca, e Satoru Nakata, um velho com a habilidade de falar com gatos. Essencial.

Sons of Midnight, de Salman Rushdie

Sons of Midnight de Salman Rushdie

A Índia É um daqueles países únicos no mundo onde a magia e a espiritualidade são inerentes ao comportamento de seu povo. Portanto, não nos surpreendemos com o desperdício de imaginação que as histórias de Rushdie geram, especialmente Filhos da meia noite. Um romance ambientado à meia-noite de 15 de agosto de 1947, dia em que a Índia ganhou sua independência do Império Britânico e em que Salim Sinai, protagonista da história, veio ao mundo. Através de sua história, a de uma criança que desenvolve habilidades curiosas, testemunhamos a história recente da Índia e uma nova geração disposta a reinventar aquele país que desafia os sentidos dos viajantes e leitores.

Amado por Toni Morrison

Amado por Toni Morrison

Publicado em 1987, Amado es um romance dedicado aos "sessenta milhões e mais" escravos de ascendência africana que morreu depois de ser subjugado através do Atlântico. Fatos históricos representados por Sethe, uma escrava que decide fugir com sua filha da plantação de Kentucky onde vivem na escravidão para chegar a Ohio, um estado livre. Os fantasmas e horrores de uma cruzada que fala de todos aqueles silêncios que durante décadas afogaram homens cruéis e até a própria literatura. Publicado em 1987, o romance ganhou o Prêmio Pulitzer no ano seguinte e foi adaptado para o cinema com Oprah Winfrey no papel de Sethe, personagem por sua vez baseado na escrava Margaret Garner.

Quais são para você os melhores livros sobre realismo mágico que já leu?

 


O conteúdo do artigo segue nossos princípios de ética editorial. Para relatar um erro, clique Clique aqui.

Um comentário deixe o seu

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*

  1. Responsável pelos dados: Miguel Ángel Gatón
  2. Finalidade dos dados: Controle de SPAM, gerenciamento de comentários.
  3. Legitimação: Seu consentimento
  4. Comunicação de dados: Os dados não serão comunicados a terceiros, exceto por obrigação legal.
  5. Armazenamento de dados: banco de dados hospedado pela Occentus Networks (UE)
  6. Direitos: A qualquer momento você pode limitar, recuperar e excluir suas informações.

  1.   The Burning Ranger dito

    O Burning Llanero nunca foi para Comala, até aos 55 anos quando foi fundado, teve queimaduras de 3º grau. A planície, por outro lado, não porque não pudesse se mover.