Livros de Lope de Vega

Retrato de Félix Lope de Vega.

Escritor Félix Lope de Vega.

Felix Lope de Vega Carpio foi um escritor espanhol que nasceu em 25 de novembro de 1562 em Madrid. Ele começou a produzir material literário desde muito jovem, dedicado a seus amores fracassados ​​e outras experiências. Os livros de Lope de Vega representam um legado notável para a literatura espanhola. Escrever foi toda a sua vida, e ele só deixou de produzir cartas momentos antes de sua morte, em 25 de agosto de 1635.

Lope de Vega foi uma parte importante da Idade de Ouro, que é considerada a etapa mais fecunda das letras e artes espanholas. Durante sua existência, o escritor produziu centenas de obras, entre poesias, comédias, epopéias, sonetos e até pequenos romances.

Um jovem escritor

Lope se destacou desde o início de seu processo de aprendizagem; aos cinco anos já sabia ler em espanhol e latim, além o pequeno escreveu seus primeiros poemas durante seus anos de inocência. No início da adolescência, Vega produziu comédias em quatro atos; uma de suas primeiras obras deste tipo foi intitulada O verdadeiro amante.

Lope se destacou consideravelmente dos demais, a tal ponto que pela sua grande aptidão artística, a escola Vicente Espinel deu-lhe a honra de estudar nas suas instalações. O cavaleiro de Illescas Era mais uma de suas comédias e ele decidiu dedicá-la a Espinel, pois era alguém que admirava.

Estudou o ensino médio na faculdade pedagógica da Companhia de Jesus - que mais tarde se tornou o colégio imperial -, onde conheceu os jesuítas. Em 1577 continuou a sua formação na Universidade de Alcalá, Colegio de los Manriques. Não obstante, Lope não concluiu o ciclo do ensino superior, por isso não obteve nenhum diploma.

O apaixonado Lope

Elena Osorio foi sua primeira esposa, e isso significava muito para ele. Essa relação acabou porque ela iniciou uma relação de interesses econômicos com um nobre. Lope de Vega ficou arrasado e dedicou alguns versos contra Elena e seus parentes. O conteúdo de suas estrofes era forte e humilhante e naqueles tempos isso era um crime para a honra, então ele foi mandado para a prisão e banido por um tempo.

The Dorotea era um romance dedicado a Elena, e curiosamente a obra viu a luz pública em 1632, alguns anos antes da morte do escritor. No entanto, na época em que escreveu este trabalho, Lope tinha uma nova mulher chamada Isabel de Alderete com quem se casou em 10 de maio de 1588.

Isabel faleceu em 1594, semanas após o parto, e Lope dedicou The Arcádia, um romance em que ele introduziu alguns versos poéticos. Sua terceira esposa chamava-se Antonia Trillo e foram acusados ​​de concubinato, o que na época também era crime. em 1598 ele se apaixonou por Juana de Guardo, filha de um homem com muito dinheiro; mas teve muitos amantes, entre eles Micaela de Luján.

Por todos os filhos ilegítimos e relacionamentos que Lope de Vega teve, ele teve que trabalhar muito. Os milhares de escritos de autoria espanhola derivaram desta fase, muitos dos poemas, comédias e romances não foram terminados, têm erros e é evidente a rapidez com que Lope teve de os produzir.

Frase de Lope de Vega.

Citação de Lope de Vega - Ofrases.com.

Progresso do seu trabalho literário

No início do século XVII, de Vega conseguiu editar a maior parte de suas histórias e ele procurou saber como suas obras eram protegidas por direitos autorais. Muitas de suas comédias foram usadas sem permissão, o que preocupou Lope; no entanto, ele não obteve os direitos, mas foi autorizado a editar suas próprias produções. Pela diversidade e fecundidade do seu trabalho, foi denominado «A Fênix dos Raciocínios ».

Em 1609, na Academia de Madrid, o autor proferiu o seu ensaio em forma de discurso Nova arte de fazer comédias nesta época, uma obra escrita em verso. Através desta obra, com mais de trezentos versos, o autor deu a conhecer os seus diversos momentos de alegria e tristeza.

Lope de Vega, o padre

Em 1611, houve uma tentativa de assassinato contra ele, e seu amigo e sua esposa morreram nos anos seguintes. Esta série de acontecimentos marcou muito o poeta, que buscou refúgio na religião por meio do sacerdócio, aspiração que finalmente o atingiu em 1614.

O escritor decidiu capturar todos esses sentimentos e emoções em uma obra chamada Rimas sagradas. Nestes versos Lope aplicou parte de seus conhecimentos adquiridos na Companhia de Jesus por meio do livro Exercícios Espirituais, texto que buscou fortalecer as crenças católicas por meio da meditação e outras ações mentais.

No seu tempo de sacerdote, Lope de Vega interessou-se por Marta de Nevares, mas por se ter ordenado à sua nova fé, não conseguiu expressar o seu amor por ela e decidiu dedicar-lhe várias produções poéticas com estas características.

Fragmentos de alguns livros de Lope de Vega

Aqui estão alguns fragmentos de algumas obras de Lope de Vega:

Fonte Ovejuna

“Mestre: —Você vai me ver a cavalo hoje, com a lança em punho.

Laurencia: —Mais do que eu já voltei aqui!

Pascuala: - Bem, eu pensei que quando te contasse, você iria se arrepender mais.

Laurencia: —É para o céu que nunca a vi em Fuente Ovejuna! ”.

Cante Amarílis

"Amarilis canta, e sua voz se eleva

minha alma do orbe da lua

para as inteligências, que nenhuma

o dela imita tão docemente.

Do seu número então eu transplantei

para a unidade, que por si só é um ... ”.

Temas dos livros de Lope de Vega

A maioria seus escritos e peças tinham a ver com histórias de afeto, paixão e amor, o enredo dessas histórias é o que manteve o autor vivo. Algumas obras que têm esse tema são: Amar sem saber quem, O cavaleiro milagroso, O aço de madrid y O amante discreto.

Entre as centenas de textos que o autor escreveu, existem muitos tópicos diferentes, filosofia e comédia foram fundamentais para a obra literária do autor. Naquela época havia abusos da classe alta contra os mais necessitados ou a classe trabalhadora, pois este Lope protestou em obras como: Fonte Ovejuna, O melhor prefeito y O Cavaleiro de Olmedo.

Várias obras de Lope de Vega.

Vários livros de Lope de Vega.

De Vega, o protagonista de suas obras

O autor não se referia explicitamente a si mesmo em suas histórias; porém Lope de Vega criou um personagem que o representou e que levou o nome de Belardo. O escritor contou a história de amor desse homem, seu desejo de namoro e seu sofrimento por não tê-la.

Legado

Embora ele fosse um homem mulherengo em sua juventude, à medida que amadurecia estabeleceu-se como um dos escritores mais talentosos da Espanha. Se algo o caracterizava, era esse Lope se dedicou a escrever para o povo. O autor costumava afirmar que tinha capacidade de produzir uma comédia em vinte e quatro horas, diz-se que escrevia até na hora das refeições. A frase "é de Lope" se popularizou e continuou a ser usada para se referir ao material literário de sua autoria.


O conteúdo do artigo segue nossos princípios de Ética editorial. Para relatar um erro, clique Clique aqui.

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

*

*

  1. Responsável pelos dados: Miguel Ángel Gatón
  2. Finalidade dos dados: Controle de SPAM, gerenciamento de comentários.
  3. Legitimação: Seu consentimento
  4. Comunicação de dados: Os dados não serão comunicados a terceiros, exceto por obrigação legal.
  5. Armazenamento de dados: banco de dados hospedado pela Occentus Networks (UE)
  6. Direitos: A qualquer momento você pode limitar, recuperar e excluir suas informações.