Melhores livros da literatura americana

Harper Lee Os melhores livros da literatura americana

Nelle Harper Lee, autora de 'To Kill a Mockingbird'

Apesar de seu caráter contemporâneo em relação à literatura de outros países do mundo, a americana é repleta de grandes histórias. Histórias decorrentes de uma história marcada pela escravidão, pelo progressismo ou pela paranóia que, de certa forma, não representam apenas um determinado período da história do país, mas também do Ocidente. Esses melhores livros da literatura americana eles se tornam os melhores exemplos.

Recomendamos um artigo que trate de um tema altamente demandado pelos leitores e esta lista de livros para começar a ler em inglês do blog do nosso irmão

The Scarlet Letter por Nathaniel Hawthorne

A carta de scarlet

Publicado em 1850, A carta de scarlet é considerado um dos as maiores obras da literatura norte-americana. Passada no puritano Boston em 1642, a história apresenta Hester Prynne, uma mulher grávida que é pendurada com um "A" escarlate como um sinal de seu adultério. Como personagens secundários, o romance apresenta o reverendo Dimmesdale e o médico Roger Chillingworth, na verdade o marido abandonado de Hester. O romance foi adaptado para uma tela em 1995, estrelado por Demi Moore e uma crítica generalizada, à medida que o filme se tornava uma versão "livre demais" do clássico literário.

E o Vento Levou, de Margaret Mitchell

O que o vento levou

Em 1861, os Estados Unidos estavam se preparando para um Guerra civil que alterou a vida de muitas pessoas. Nesse caso, o de personagens como Scarlet O'Hara, a filha mimada do dono de uma plantação de algodão no estado da Geórgia, cuja situação muda completamente quando a guerra e a destruição invadem sua vida. O romance, publicado em 1936, tornou-se um grande sucesso de vendas após a estreia de a adaptação para o cinema estrelada por Vivien Leigh e Clark Gable que seria lançado três anos depois.

Você gostaria de ler O que o vento levou?

As Vinhas da Ira, de John Steinbeck

As Vinhas da Ira

El rachadura de 29 Foi a pior crise econômica de sua história para os Estados Unidos, distorcendo completamente uma população que foi forçada a seguir novos caminhos. O relatado em As Vinhas da Ira É uma jornada longa e poeirenta empreendida pela família Joad, forçada a deixar suas terras em Oklahoma para chegar à terra prometida chamada Califórnia. Reflexo de uma geração e uma de os episódios mais importantes do século XNUMX nos Estados Unidos, a novela ganhou o prêmio pulitzer em 1940 para se tornar um clássico instantâneo.

O apanhador no campo de centeio, de JD Salinger

O apanhador no centeio

Trabalho de cúpula da literatura americana, O apanhador no centeio chegou em 1951 para se tornar um dos os romances mais polêmicos de seu tempo. Um raio-X de uma América cada vez mais mutante, o trabalho de Salinger segue os passos de Holden Caulfield, um jovem de 16 anos que acaba de ser expulso do colégio e sente um ódio geral pelo mundo ao seu redor. Sua linguagem provocativa e referências a sexo, drogas ou prostituição o fizeram um livro tão proibido quanto fascinante e também um dos mais vendidos do século XX.

Fahrenheit 451 por Ray Bradbury

Fahrenheit 451

Incluído no gênero distópico, Fahrenheit 451, equivalente a uma temperatura de 232,8 ºC  é um romance filosófico publicado em 1953 que fala sobre o controle de multidões. Especificamente, de uma sociedade formada por bombeiros encarregados da queima de livros, por serem considerados elementos perigosos para a humanidade. Uma demonstração de imaginação inspirada nas influências de outro grande autor americano, como Edgar Allan Poe e cuja adaptação cinematográfica foi assinada por François Truffaut em 1966.

To Kill a Mockingbird de Harper Lee

Mate um Mockingbird

Ambientado durante a Grande Depressão e inspirado por um evento na infância de Lee, Mate um Mockingbird fala sobre dois tópicos delicados, como racismo e estupro. A história ganhadora do Prêmio Pulitzer conta o caso enfrentado pelo advogado Atticus Finch, acusado de defender um homem de cor acusado de estuprar uma jovem branca. Rapidamente, o romance tornou-se um dos mais analisados ​​nas faculdades e universidades dos Estados Unidos, embora alguns especialistas o considerem ambivalente demais para a comunidade negra, sendo muito mais abraçado pela população branca. O rascunho do romance anunciado como uma sequência Vá e coloque uma sentinela foi publicado em 2015.

Na estrada, por Jack Kerouac

No caminho

Escrito em apenas três semanas no agora famoso rolo de papel que Kerouac guardava, No caminho foi todo um fenômeno social e literário após sua publicação em 1957. Pedra angular do que é conhecido como «geração beat«, A obra é um monólogo em que o autor analisa viagens feitas pelos Estados Unidos e México junto com seus amigos entre 1947 e 1950. Precursor da famosa Rota 66 e de um estilo de vida marcado pela loucura, jazz ou drogas, En el camino tornou-se uma das obras mais influentes do seu tempo, uma das mudanças nas quais as mentes dos jovens começaram a se abrir para novos caminhos e estilos de vida.

Amado por Toni Morrison

Amado

Escravidão na América É o episódio que marcou a história de um país no qual o racismo ainda está latente. Também um tema que a literatura mal ecoava até algumas décadas atrás. Daí que Amado por Toni Morrison foi abraçado após sua publicação em 1987 como um livro necessário que talvez tenha demorado muito para ser publicado. Vencedor de prêmio Pulitzer, o romance se adapta os verdadeiros eventos baseados na escrava Margaret Garner apresentando Sethe, uma mulher de cor que em 1856 deixa a plantação de Kentucky, onde vive na escravidão, para chegar a Ohio, considerado um estado livre.

The Road, de Cormac McCarthy

A estrada

McCarthy é um dos grandes autores contemporâneos dos Estados Unidos. Um escritor que navega entre a violência de No Country for Old Men ou a racial The Sunset Limited para apostar no romance distópico em A estrada. Situado em um futuro devastado por um Holocausto nuclear, o romance relata as duras experiências de um pai e filho em um mundo cheio de poeira e homens sedentos por carne. A novela ganhou o Prêmio Pulitzer e o Prêmio James Tait Black Memorial e teve uma adaptação para o cinema estrelada por Viggo Mortensen em 2009.

Quais são, na sua opinião, os melhores livros da literatura americana?

Você gostaria de saber os melhores livros da literatura latino-americana?

 


O conteúdo do artigo segue nossos princípios de Ética editorial. Para relatar um erro, clique Clique aqui.

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

*

*

  1. Responsável pelos dados: Miguel Ángel Gatón
  2. Finalidade dos dados: Controle de SPAM, gerenciamento de comentários.
  3. Legitimação: Seu consentimento
  4. Comunicação de dados: Os dados não serão comunicados a terceiros, exceto por obrigação legal.
  5. Armazenamento de dados: banco de dados hospedado pela Occentus Networks (UE)
  6. Direitos: A qualquer momento você pode limitar, recuperar e excluir suas informações.