Fernando Lillo. Entrevista com o autor de A day in Pompeii

Fernando lillo ele é um professor de linguas clássicas e escritor de títulos de gênero históricos, como Teucer, o arqueiro de Tróia o Os cavaleiros do marSeu último romance é Um dia em Pompéia. Compartilho sua admiração pelo mundo greco-latino, em minha humilde escala de formação também clássica que incluía latim e grego. Y Eu que agradeço muito tempo gasto para Nesta entrevista.

ENTREVISTA COM FERNANDO LILLO

  • NOTÍCIAS DA LITERATURA: Você se lembra do primeiro livro que leu? E a primeira história que você escreveu?

FERNANDO LILLO: Não me lembro exatamente do primeiro livro. Passei da extraordinária coleção de quadrinhos Joias literárias de Bruguera às adaptações de Clássicos castelhanos na coleção Odres novos de Castalia (Conde Lucanor, lendas espanholas...).

Eu lembro ao invés minha primeira grande história, 56 páginas que digitei com muito esforço quando tinha 14 anos. Foi intitulado O elixir do Yashib e contou as aventuras de alguns seres minúsculos imaginários que vivia dentro de uma criança e tinha que salvá-la da maldição dos mágicos malignos Yashib. Todas as minhas leituras de infância estavam lá.

  • AL: Qual foi o primeiro livro que mais te impressionou e por quê?

FL: Depois de curtir com A história Interminável por Michael Ende, fiquei tão chocado O nome da rosa por Umberto Eco com quem li 15 ou 16 anos. Ainda me vejo deitado na cama do meu quarto de adolescente depois de um dia difícil no colégio, saboreando o prazer de descobrir como Guillermo e Adso entraram no labirinto da biblioteca do mosteiro, uma sensação que não sentia desde então com o filme ou a televisão Series. Além de tudo aquele latino, então ainda desconhecido para mim, lembro-me da descrição soberba e assustadora na fachada da igreja do mosteiro com tantos ecos do Apocalipse.

  • AL: Um escritor favorito? E sendo professor de latim e grego, que escritor clássico foi capaz de influenciá-lo como autor?

FL: Meus favoritos sempre foram Greco-latinos e clássicos espanhóis. Como escritor, meu status como Professor de latim e grego Isso influenciou muito a escolha dos temas para meus romances. Homer com o Ilíada e a Odisséia e Virgil com seu imortal Eneida, assim como os trágicos gregos, como sófocles, foram a inspiração para meu primeiro romance, Teucer, o arqueiro de Tróia (Toxosoutos, 2004), e eles também estiveram em segundo plano na minha última obra de ficção, Os cavaleiros do mar. O segredo de Cartago (Evohe, 2018).

O conhecimento do filósofo cordovês Seneca e seus escritos me encorajaram a escrever seu biografia ficcional intitulado Sêneca, o caminho dos sábios (Diálogo, 2006).

  • AL: O que você está nos dizendo em Um dia em Pompéia?

FL: Um dia em Pompéia é uma história ficcional que, a partir da vida de vários personagens reais que viveram na cidade, recria o vida cotidiana de qualquer dia na primavera do ano Erupção do Vesúvio, o 79 d. C.. O leitor estará imerso no ruas movimentadas, fórum movimentado, estabelecimentos de hospitalidade, The fontes termais ou a privacidade de habitação entre muitos outros aspectos.

Meu objetivo era que você pudesse viver Pompéia contada por seus próprios habitantes, sempre com um uso rigoroso do fontes históricas fundo.

  • AL: Qual personagem você gostaria de conhecer e criar?

FL: Sem dúvida, Ulises, mas não só a que surge na Odisseia, mas também a da Ilíada e de toda a tradição ocidental que foi remodelando a sua figura e tornando-a um mito imperecível.

A mistura de desejo ir para casa (saudade é dor pela volta) com a atração pela Aventura e do descoberta Eu acho que é um maravilhoso síntese do ser humano. E ao lado dele, claro, os fiéis Penelope, que o espera em meio a grosso e fino, quase indefeso, mas firme.

  • AL: Alguma mania quando se trata de escrever ou ler?

FL: Não tenho hobbies especiais sobre isso.

  • AL: Qual é o seu local e hora preferidos para o fazer?

FL: Para escrever Eu só preciso de um lugar em silêncio e um mesa larga onde você pode implantar o livros de referência e documentação.

Para ler qualquer site Parece-me apropriado, pois, se a leitura for boa, me isola do mundo exterior. Claro que prefiro um local sossegado e até ao ar livre se o tempo estiver bom.

  • AL: Outros gêneros que você gosta?

FL: Eu gosto do poesia e do ensaio histórico do tribunal, especialmente aqueles que combinam erudição com uma prosa de leitura agradável. O teatro Eu prefiro ver isso representado e se for clássico, nada como o cenário de um teatro grego (epidauro) ou romano (Mérida).

  • AL: O que você está lendo agora? E escrever?

FL: Agora estou lendo Vozes de longos ecos, de Carlos Garcia Gual (Ariel), um convite para a leitura dos clássicos. Depois de Um dia em Pompéia Estou me dando um pequena pausa na escrita Aproveito a oportunidade para me documentar sobre projetos futuros no mundo greco-romano.

  • AL: Como você acha que é o cenário editorial para tantos autores quantos existem ou querem publicar?

FL: O sinal dos nossos tempos é o acelerar. As mesas de novos produtos eles mudam quase constantemente e como o oferta de livros publicados é tão amplo muitos trabalho qualidade pode passar despercebida para o público em geral. Às vezes, apostam no sucesso momentâneo de títulos que logo serão esquecidos. No entanto, eu confio que obras que valem a pena perdurarão com o tempo, embora demorem para serem reconhecidos.

  • AL: O momento de crise que estamos vivendo está sendo difícil para você ou você pode manter algo positivo?

FL: Os momentos de crise em que colocamos nossa coragem à prova são sempre oportunidades de amadurecimento pessoal e coletivo. Estávamos acostumados a acreditar que a ciência e a tecnologia poderiam dominar nossas vidas. Estamos recebendo um cura humildade. É também uma oportunidade de se abrir a Deus e transcender e valorizar as coisas realmente importantes.


O conteúdo do artigo segue nossos princípios de Ética editorial. Para relatar um erro, clique Clique aqui.

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

*

*

  1. Responsável pelos dados: Miguel Ángel Gatón
  2. Finalidade dos dados: Controle de SPAM, gerenciamento de comentários.
  3. Legitimação: Seu consentimento
  4. Comunicação de dados: Os dados não serão comunicados a terceiros, exceto por obrigação legal.
  5. Armazenamento de dados: banco de dados hospedado pela Occentus Networks (UE)
  6. Direitos: A qualquer momento você pode limitar, recuperar e excluir suas informações.