Charles Perrault: biografia e melhores histórias infantis

Bela Adormecida

Charles Perrault é um autor que já faz parte da nossa infância, da história, da narrativa universal. Suas são algumas das histórias infantis mais famosas e atemporais, embora a realidade deste autor francês sempre tenha girado mais em torno da realeza e do "mundo real" do que da fantasia. A vida e obra de Charles Perrault Não é apenas interessante historicamente, mas também quando se trata de compreender uma magia que transformou para sempre o poder de contar histórias.

Charles Perrault: um contador de histórias na Corte

Charles Perrault

Charles Perrault nasceu em 12 de janeiro de 1628 em Paris, no seio de uma família burguesa cujo pai era advogado no Parlamento, o que lhe permitiu desfrutar de uma vida privilegiada. Perrault nasceu durante um parto duplo, cujo gêmeo, François, morreu seis meses depois de vir ao mundo.

Em 1637 ingressou no Colégio de Beauvais, onde demonstrou grande habilidade com as línguas mortas. Em 1643 comecei a estudar direito para seguir os passos de seu pai e irmão, Pierre, colecionador geral e seu principal protetor. E é que desde muito jovem Perrault demonstrou grande capacidade para os estudos, sendo esta a sua principal prioridade durante grande parte da sua vida.

Em 1951 formou-se na Ordem dos Advogados e três anos depois tornou-se funcionário do sistema governamental. Entre suas primeiras contribuições, o autor participou da criação da Academia de Ciências e da Academia de Artes. No entanto, apesar de sua posição na esfera política e de sua relação com a arte, Perrault nunca foi contra o sistema, nem deu sinais da fantasia que suas histórias iriam evocar anos depois. Sua vida se limitou a cumprir sua obra e homenagear o rei Luís XIV na forma de poemas e diálogos, o que lhe valeu a admiração de altos cargos e a posição de secretário da Academia Francesa em 1663 sob a batuta de seu maior protetor, Colbert, conselheiro de Luís XIV.

Em 1665, ele se tornaria um dos oficiais reais. Em 1671 foi nomeado Chanceler da Academia e casou-se com Marie Guichon, com quem teve a primeira filha em 1673. Nesse mesmo ano foi nomeado Bibliotecário da Academia. Teve mais três filhos, perdendo a esposa após o nascimento do último, em 1678. Dois anos depois, Perrault teve que ceder o cargo ao filho de Colbert, momento que marcaria sua transição para uma faceta de escritor infantil cujo título principal estava Contos do passado, mais conhecidos como Contos da Mãe Ganso. Apesar de ter escrito todas essas histórias em 1683, elas não seriam publicadas até 1697.

Durante seus últimos anos de vida, Perrault se dedicou a escrever odes à monarquia, ao rei da Suécia, à Espanha e, principalmente, a Luís XIV. Ele dedicou o poema a ele El Século de Luís o Grande, que causou grande comoção após sua publicação em 1687.

Charles Perrault morreu em 16 de maio de 1703 em Paris.

Charles Perrault: seus melhores contos

histórias de mamãe ganso

Embora parte de sua obra literária (incluindo suas 46 obras póstumas publicadas) falasse de reis, da Corte e da situação política, Histórias infantis de Perrault eles abrangiam uma moralidade que o autor considerava necessária em tempos turbulentos como os da França do século XVI.

Ogros, fadas, gatos com botas e princesas começaram a ser desenhados em sua cabeça inspirados nas histórias que circulavam entre as classes altas como legado de um oratório de outros países europeus e alguns mais exóticos. Por sua vez, cenários reais que costumavam ser visitados pelo escritor, como o castelo de Ussé, no departamento de Indre e Loire, inspirariam histórias como a Bela Adormecida.

O livro que reuniu parte dessas histórias foi intitulado Histoires ou contes du temps passé, avec des moralités com o título de Contes de ma mère l'Oye na contracapa. O volume consistia em oito contos, o mais famoso de Charles Perrault:

Bela Adormecida

O famoso conto da princesa Aurora, condenada a dormir para sempre após ser picada com um fuso, tornou-se uma das histórias mais atemporais da história. Perrault baseou-se no mito da princesa adormecida Tão recorrente em antigas histórias islandesas ou espanholas e acrescentou um toque mais irônico e perspicaz.

Chapeuzinho Vermelho

Chapeuzinho Vermelho

A história da menina de capuz vermelho que encontrou um lobo a caminho da casa da avó veio de uma lenda da época medieval para marcar as diferenças entre a cidade e a floresta. Perrault suprimiu os detalhes mais sinistros (como o convite do lobo para Chapeuzinho Vermelho para devorar os restos de sua avó) e qualificou-se uma moral dirigida a todas as mulheres jovens no que diz respeito a impedi-las de se encontrarem com estranhos.

Barba azul

barba azul

O relato menos fantasioso dos contos de Perrault aludia a uma mulher que descobriu os cadáveres das ex-esposas de seu novo marido em um castelo sinistro. Embora a história da suntuosa mansão e do misterioso marido remonta aos mesmos mitos gregos, acredita-se que Perrault tenha se inspirado em figuras como o assassino em série Gilles de Rais, um nobre bretão do século XNUMX.

O gato de Botas

o gato de Botas

O gato do filho de um moleiro que deixa toda a sua herança depois de morrer torna-se a premissa deste conto muito engraçado, cuja interpretação ainda suscita mais de um debate. Alguns se apóiam na teoria de que o gato humanizado que dirigia o negócio era uma lição de administração de empresas, enquanto outros apontam para o animal calçado como uma metáfora para o próprio instinto animal do ser humano.

Cinderela

Cinderela

Poucas histórias transcenderam tanto no tempo quanto a de Cinderela, a jovem que serviu a sua madrasta e duas irmãs adotivas, desejando se casar com um príncipe. A história refletia o conceito mais antigo do mundo: a luta do bem contra o mal, tema que já estava presente em uma das primeiras versões da narrativa do Egito Antigo.

Pulgarcito

Thumbelina era a mais nova de oito irmãos. A grande vantagem que lhe permitiu camuflar-se nas botas do ogro que queria comê-los todos. Metáfora desse tamanho não determina o valor de um ser humano.

As outras duas histórias incluídas no livro foram As fadas e Riquet com o pompadour, menos conhecido. Por sua vez, uma versão subsequente de Tales of Mother Goose foi incluída Pele de bunda, outro clássico de Perrault que denunciava o incesto contando a história de um rei que pretendia se casar com sua filha.

Qual é a sua história favorita de Charles Perrault?

Você conhecia estes 7 histórias para ler durante uma viagem de metrô?

 


O conteúdo do artigo segue nossos princípios de ética editorial. Para relatar um erro, clique Clique aqui.

6 comentários, deixe o seu

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*

  1. Responsável pelos dados: Miguel Ángel Gatón
  2. Finalidade dos dados: Controle de SPAM, gerenciamento de comentários.
  3. Legitimação: Seu consentimento
  4. Comunicação de dados: Os dados não serão comunicados a terceiros, exceto por obrigação legal.
  5. Armazenamento de dados: banco de dados hospedado pela Occentus Networks (UE)
  6. Direitos: A qualquer momento você pode limitar, recuperar e excluir suas informações.

  1.   RICARDO dito

    Você conhece a edição da Editora Edhasa, é magnífica em sua coleção de livros TESOURO, uma maravilha

  2.   Peter dito

    Bom artigo, eu realmente gostei. Eu penso de tudo, a Bela Adormecida é minha favorita. Vejam bem a publicação, existem alguns outros tipos (1951 / suss). Comecei a te seguir, seu blog é ótimo.

  3.   Daniela Carmenn dito

    Literatura muito boa

  4.   Carmen dito

    Olá, desculpe, mas há uma data que você errou "Em 1951 ele se formou na Ordem dos Advogados"

    Artigo muito bom.

  5.   Gustavo Woltmann dito

    Excelente autor, é um tesouro poder apreciar as obras de tal titã, e o fato de sua mensagem ser tão adaptável às circunstâncias modernas é um sintoma de que ele teve uma visão muito boa. E embora muitas de suas histórias percam parte de seu conteúdo nas adaptações filmográficas, elas ainda têm um peso incalculável.

    -Gustavo Woltmann.

  6.   KADS dito

    Olá, como posso citar esta página por favor, não consigo encontrar a data em que foi feita….