A verdade por trás da Branca de Neve

A verdade por trás da Branca de Neve.

A verdade por trás da Branca de Neve.

A Disney começou sua história de filmes de animação com Branca de Neve, uma história que, no filme, é cheia de canções, alegrias e poucas angústias. Embora essa história bem conhecida seja atribuída aos Irmãos Grimm, alguns dizem que a lenda é muito mais antiga.

Todo mundo conhece a história, uma linda garota que é odiada por sua madrasta, ela a envenena e um príncipe encantado a resgata e eles são felizes para sempre. Embora os pontos gerais como o espelho, a maçã venenosa e o caixão de cristal estejam sempre presentes, há detalhes que a Disney não conta.

Diferenças específicas entre as versões

Tentativas de assassinato

Madrasta tenta matar Branca de Neve 3 vezes: primeiro com uma tira de pescoço, com a qual tenta pendurá-la; depois, com um pente envenenado, com o qual não pode penetrar no crânio; e finalmente a maçã envenenada.

O príncipe desajeitado

O príncipe resgata a princesa, mas não de um beijo, desajeitadamente quer ver a bela morta e tropeça, derrubando a urna. Com o golpe, Branca de Neve cospe a maçã envenenada.

O fim da madrasta

No entanto, a diferença mais assustadora é o fim da madrasta vilNa versão original deste conto alemão, o Príncipe se torna Rei ao se casar com Branca de Neve. Eles decidem visitar os reinos próximos para comemorar.

Ao chegar ao palácio da madrasta malvada, que fica chocada com a presença desta nova rainha, Branca de Neve e seu rei decidem puni-la por suas tentativas de assassinato. Assim que A mulher má recebe sapatos de ferro em brasa com os quais deve dançar até morrer.

Referências famosas

Por trás dessa história, há uma inspiração bastante óbvia em dois aristocratas famosos:

  • Condessa Margaretha von Waldeck, nascida em 1533.
  • Baronesa Maria Sophia Margaretha Catharina von Erthal, 1725.

Em primeiro lugar, Ambas as figuras têm em comum pais ocupados que não estavam presentes para cuidar deles e mães que morreram logo após o parto, deixando-as nas mãos de madrastas pouco amorosas, para dizer o mínimo.

Margaretha von Waldeck

A história da Condessa Margaretha contém alguns elementos curiosos que a ligam ao conto. Esta condessa foi criada por uma madrasta muito severa, que a dedicou a viajar de tribunal em tribunal até chegar a Bruxelas. Diz-se que aqui teve um caso com o rei da Espanha, Felipe II, que fez com que Margaretha fosse envenenada por membros da corte.

Eckhard Sander, historiador, e o cronista da família, Waldeck Erthal, MB Kittel dizem que os sete anões da história se referem às crianças da região, que trabalhou desde cedo nas minas. A desnutrição não permitiu que crescessem, e os uniformes de trabalho, inclusive um chapéu, são assimilados às roupas que costumam ser atribuídas aos 7 anões da Branca de Neve.

A condessa era extremamente amorosa e gentil com essas crianças., dizem que ela veio brincar com eles, cantar para eles e dedicar algumas horas do seu dia a dia. Certamente em Branca de Neve, como em muitos outros Histórias dos irmãos Grimm, houve influências notáveis ​​de eventos reais.

Maria Sofia Margaretha Catharina von Erthal

Já para a baronesa Maria Sophia, as semelhanças são maiores. A localização de seu castelo e seus arredores são muito semelhantes às descrições que os Irmãos Grimm usam em seu conto.

A isto acrescenta-se o espelho que a madrasta de Maria Sophia possuía. Foi um presente do pai da menina. Este tinha sido importado especialmente da Espanha, pois, para a época, eram os espelhos mais famosos pela qualidade dos seus materiais e pelo delicado trabalho que lhes era confiado.

O enorme espelho mede 1,60 metros, está atualmente exposto no Museu Spessart, e tem um aforismo que diz "Amour Propre". Devido à frase e à clareza de seu reflexo, foi dito que era um "espelho falante".

Os irmãos Grimm.

Os irmãos Grimm.

Embora Maria Sophia não tenha sido envenenada, a floresta ao redor de seu castelo estava cheia de beladona, uma fruta que contém Atropa beladona. Essa substância é um tipo de narcótico que cria uma paralisia geral muito parecida com a da morte.

O caixão de vidro e as sapatas de ferro são outros pontos que os historiadores usam para conectar Branca de Neve com a região de Lohr, onde a baronesa nasceu. Para a época, Lohr tinha uma rica reserva de minerais, e esses "acessórios" eram a representação da facilidade com que tinham acesso a eles.

Branca de Neve, uma história muito real

Se juntarmos as histórias desses dois aristocratas e as semelhanças de suas vidas com Branca de Neve podemos perceber que a história não é tão fantasiosa quanto parece. Como você leu, o fim trágico da madrasta e da história corajosa dos irmãos grimm sobre tentativas de assassinato não tem nada a ver com os 7 anões fofos e os bichinhos fofos que acompanham a Princesa Disney.


O conteúdo do artigo segue nossos princípios de Ética editorial. Para relatar um erro, clique Clique aqui.

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

*

*

  1. Responsável pelos dados: Miguel Ángel Gatón
  2. Finalidade dos dados: Controle de SPAM, gerenciamento de comentários.
  3. Legitimação: Seu consentimento
  4. Comunicação de dados: Os dados não serão comunicados a terceiros, exceto por obrigação legal.
  5. Armazenamento de dados: banco de dados hospedado pela Occentus Networks (UE)
  6. Direitos: A qualquer momento você pode limitar, recuperar e excluir suas informações.

bool (verdadeiro)