Yukio Mishima

Yukio Mishima

Yukio Mishima

Yukio Mishima foi um romancista, poeta e ensaísta, considerado um dos mais importantes escritores japoneses do século XX. Suas obras mesclam as tradições japonesas com o modernismo, obtendo assim reconhecimento literário internacional. Em 1968 foi nomeado para o Prémio Nobel de Literatura, na ocasião o vencedor deste prémio foi o seu mentor: Yasunari Kawabata.

O escritor caracterizou-se pela sua disciplina, bem como pela versatilidade dos seus temas (sexualidade, morte, política ...). Em 1988, a editora Shinchōsha - que publicou grande parte de seus livros - criou o Prêmio Mishima Yukio em homenagem ao escritor. Este prémio foi atribuído durante 27 anos consecutivos, sendo a última edição em 2014.

Biografia

Yukio Mishima nasceu em 14 de janeiro de 1925 em Tóquio. Seus pais eram Shizue e Azusa Hiraoka, que o batizaram com o nome: Kimitake Hiraoka. Ele foi criado por sua avó Natsu, que o afastou de seus pais desde cedo.. Ela era uma mulher muito exigente e queria criá-lo sob padrões sociais elevados.

Primeiros estudos

Na opinião de sua avó, entrou na escola Gakushüin, um lugar para a alta sociedade e nobreza japonesa. Natsu desejava que seu neto tivesse boas relações com a aristocracia do país. Lá conseguiu fazer parte do conselho editorial da sociedade literária da escola. Isso permitiu que ele escrevesse e publicasse sua primeira história: Hanazakari no Mori (1968), para a famosa revista Bungei-Bunka.

Segunda Guerra Mundial

Como resultado dos conflitos armados que desencadearam Segunda Guerra Mundial, Mishima foi convocado para se juntar à Marinha Japonesa. Apesar de ter um físico de aparência frágil, ele sempre manteve a vontade de lutar pelo seu país. Mas seu sonho foi truncado quando ele apresentou uma imagem da gripe no exame médico, motivo pelo qual o médico o desclassificou por apresentar sintomas de tuberculose.

Estudos profissionais

Embora Mishima sempre tenha sido apaixonado por escrever, ele foi incapaz de exercê-la livremente durante sua juventude.. Isso porque ele pertencia a uma família bastante conservadora e seu pai havia decidido que ele deveria fazer um diploma universitário. Por isso, ingressou na Universidade de Tóquio, onde se formou em Direito em 1957.

Mishima exerceu sua profissão por um ano como membro do Ministério das Finanças do Japão. Após esse período, ele ficou extremamente exausto, então seu pai decidiu que ele não deveria continuar trabalhando naquele local. Mais tarde, Yukio se dedicou inteiramente à escrita.

Corrida literária

Seu primeiro romance foi Tozoku (Ladrões, 1948), com o qual se tornou conhecido no campo literário. Os críticos o consideraram "participante da segunda geração de escritores do pós-guerra (1948-1949)". Um ano depois, ele continuou com a publicação de seu segundo livro: Kamen no kokuhaku (Confissões de uma máscara, 1949), trabalho com o qual obteve grande sucesso.

A partir daí, o autor começou a criar um total de mais 38 romances, 18 peças, 20 ensaios e um libreto. Entre seus livros mais destacados podemos citar:

  • O boato do surf (1954)
  • O Pavilhão Dourado (1956)
  • O marinheiro que perdeu a graça do mar (1963)
  • O sol e o aço (1967). Ensaio autobiográfico
  • Tetralogia: O mar de fertilidade

Ritual de morte

A Mishima fundou em 1968 a "Tatenokai" (sociedade de escudo), um grupo militar privado formado por um grande número de jovens patriotas. Em 25 de novembro de 1972, ele invadiu o Comando Oriental das Forças de Autodefesa de Tóquio, junto com 3 soldados. Lá eles subjugaram o comandante e o próprio Mishima foi até a varanda para fazer um discurso em busca de seguidores.

A missão principal era dar um golpe de estado e fazer com que o imperador voltasse ao poder. No entanto, este pequeno grupo não obteve o apoio dos militares presentes no local. Não conseguindo cumprir sua missão, Mishima imediatamente decidiu realizar o ritual de suicídio japonês conhecido como seppuku ou harakiri; e assim terminou sua vida.

Melhores livros do autor

Confissões de uma máscara (1949)

É a segunda novela do escritor, considerada pela mesma Mishima como autobiográfica. Suas 279 páginas são narradas na primeira pessoa por Koo-chan (abreviação de Kimitake). O enredo se passa no Japão e apresenta a infância, juventude e início da idade adulta do protagonista. Além disso, tópicos como homossexualidade e as falsas fachadas da sociedade japonesa da época.

Sinopse

Koo-chan Ele foi criado durante o período do Império Japonês. Ele Ele é um jovem magro, pálido e de aparência doentia. Por muito tempo ele teve que lidar com inúmeros complexos para poder se ajustar aos principais padrões sociais. Ele morava em uma família dirigida por sua avó, que o criou sozinha e lhe proporcionou uma excelente educação.

En Em sua adolescência, Koo-chan começa a notar sua atração por pessoas do mesmo sexo. À medida que isso acontece, ele desenvolve muitas fantasias sexuais associadas, por sua vez, a sangue e morte. Koo-chan tenta estabelecer um relacionamento com sua amiga Sonoko - para manter as aparências - mas isso nunca funciona. É assim que passam os tempos difíceis para ele, pois deve descobrir e estabelecer sua própria identidade.

Folga Confissões de um ...
Confissões de um ...
Sem classificações

O Pavilhão Dourado (1956)

É um romance ambientado nos últimos anos da Segunda Guerra Mundial. A história descreve um evento verdadeiro ocorrido em 1950, quando o Pavilhão Dourado Kinkaku-ji foi incendiado em Kyoto. Seu personagem principal é Mizoguchi, que narra a história na primeira pessoa.

O jovem admirou a beleza do assim chamado Pavilhão Dourado e ansiava por fazer parte do mosteiro Zen de Rokuojuji. O livro recebeu o Prêmio Yomiuri em 1956, além disso, foi adaptado diversas vezes para o cinema, bem como peças de teatro, musicais, dança contemporânea e ópera.

Sinopse

O enredo é baseado na vida de Mizoguchi, Quem um jovem autoconsciente de sua gagueira e aparência pouco atraente. Farto das constantes provocações, ele decide abandonar a escola para seguir os passos de seu pai, que era um monge budista. Para isso, seu pai, que está doente, confia sua educação a Tayama Dosen, prior do mosteiro e amigo.

Mizoguchi Passou por acontecimentos que marcaram sua vida: a infidelidade de sua mãe, a morte de seu pai e a rejeição de seu amor (Uiko). Motivado por sua situação, o jovem entra no mosteiro Rokuojuji. Enquanto está lá, ele fica obcecado em pensar em um possível bombardeio, que destruiria o Pavilhão Dourado, fato que nunca acontece. Ainda perturbado, Mizoguchi realizará um ato inesperado.

A corrupção de um anjo (1971)

É o último livro da tetralogia O mar de fertilidade, série em que Mishima expressa seu repúdio às mudanças e submissões da sociedade japonesa. A trama se passa nos anos 70 e segue a história de seu personagem principal, o juiz: Shigekuni Honda. Deve-se notar que o escritor entregou este trabalho ao seu editor no mesmo dia em que decidiu dar fim à sua vida.

Sinopse

A história começa quando Honda conhece Tōru Yasunaga, um órfão de 16 anos. Depois de perder sua esposa, o juiz encontra companhia com Keiko, a quem comenta seu desejo de adotar Toru. Ele pensa que é a terceira reencarnação de seu amigo da Infância Kiyoaki Matsugae. Finalmente, ela consegue seu apoio e lhe dá a melhor educação possível.

Após completar 18 anos, Tōru se tornou uma pessoa rebelde e problemática.. Sua atitude o leva a mostrar hostilidade para com seu tutor, chegando mesmo a deixar Honda incapacitado do ponto de vista médico.

Meses depois, Keiko decide revelar ao jovem o verdadeiro motivo de sua adoção, avisando-o de que suas reencarnações preliminares morreram aos 19 anos. Um ano depois, um velho Honda visita o templo Gesshū, onde receberá uma revelação chocante.

Folga A corrupção de um ...
A corrupção de um ...
Sem classificações

O conteúdo do artigo segue nossos princípios de Ética editorial. Para relatar um erro, clique Clique aqui.

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

*

*

  1. Responsável pelos dados: Miguel Ángel Gatón
  2. Finalidade dos dados: Controle de SPAM, gerenciamento de comentários.
  3. Legitimação: Seu consentimento
  4. Comunicação de dados: Os dados não serão comunicados a terceiros, exceto por obrigação legal.
  5. Armazenamento de dados: banco de dados hospedado pela Occentus Networks (UE)
  6. Direitos: A qualquer momento você pode limitar, recuperar e excluir suas informações.

bool (verdadeiro)