Laura Mas. Entrevista com o escritor de O Professor de Sócrates

Fotografias: (c) Ana Portnoy. Cortesia de Laura Mas.

Laura Mais Ela é natural das Ilhas Canárias. Licenciatura em Jornalismo, tem colaborado em vários meios de comunicação e também é gestor literário. Fã de poesia, agora deu o salto para a literatura com um romance de estreia de gênero histórico, Professor de Sócrates. Eu realmente aprecio seu tempo e gentileza por isso Entrevista que ele me concedeu.

LAURA MAS - ENTREVISTA

  • LITERATURA HOJE: Seu romance de estreia na literatura é Professor de Sócrates. O que isso nos diz?

LAURA MAS: Meu romance narra uma série de encontros entre Diotima e Sócrates em que o professor ensina ao aluno o verdadeiro significado do amor. Senti a necessidade de resgatar a figura de Diotima, uma sacerdotisa e filósofa dos quais quase nada se sabe, mas que aparece em O banquete de Platão como uma mulher revolucionária e clarividente. Suas ideias inspiraram o conceito de amor platônico, cujo verdadeiro sentido está longe do atual.

  • AL: Você se lembra do primeiro livro que leu? E a primeira história que você escreveu?

LM: Um dos primeiros livros que li foi O Pequeno Príncipepor Antoine de Saint-Exupéry. Era uma edição ilustrada que meu pai me deu e que eu relia constantemente. Antes de começar a escrever um romance, meus pequenos passos escrevendo alguns histórias e poemas para revistas e antologias.

  • AL: Qual foi o título que mais te impressionou e por quê?

LM: Quando eu era adolescente, isso me marcou muito As dores do jovem Wertherpor Goethe. A paixão e a sensibilidade do seu protagonista comoveram-me profundamente, pois nessa altura também era um jovem e melancólico apaixonado.

  • AL: Um escritor favorito? Você pode escolher mais de um e de todas as épocas.

LM: Margarida Seucenar, Alberto ArrebitadoRobert GravesClarice Lispector… A lista seria muito longa. Três autores contemporâneos que nunca me decepcionaram são Lorenzo Olivan, Chantal Maillard e luis Garcia Montero.

  • AL: Que personagem em um livro você gostaria de conhecer e criar?

LM: São tantos ... Se eu tivesse que manter um, certamente seria o complexo e inconformista Emma bovary que Flaubert criou.

  • AL: Algum hábito especial ao escrever ou ler?

LM: Para escrever Eu preciso de solidão e costumo vestir música clássica de grandes compositores como Bach, Chopin ou Debussy. Isso me ajuda a abstrair minha mente e faz minha escrita fluir melhor. Em vez disso, cada vez mais preciso do silêncio quando ler e gosto de fazê-lo tomando uma xícara de chá ou café, estendida no sofá ou na cama e na companhia dos meus gatos.

  • AL: Qual é o seu local e hora preferidos para o fazer?

LM: O melhor lugar, tanto para escrever quanto para ler, é meu apartamento. Lá encontro a tranquilidade e o descanso necessários para fugir da mente e me concentrar. A hora de escrever, ultimamente prefiro aproveitar as horas do dia; Antes era bastante noturno, mas agora eu estabeleço uma rotina diária de escrita que começa a primeira coisa de manhã. Em vez disso, eu aterramento ler começando às seis horas tarde e às vezes eles podem me dar tantos se o livro me pegar.

  • AL: Outros gêneros que você gosta?

LM: Além do gênero histórico, gosto muito do ensaio, a biografia e, claro, o poesia.

  • AL: O que você está lendo agora? E escrever?

LM: Por recomendação da minha editora, Miryam Galaz, estou lendo atualmente Os dias do Cáucasopor Banine. Estou escrevendo meu segundo romance, que será um thriller histórico com muitas intrigas palacianas.

  • AL: O momento de crise que estamos vivenciando está sendo difícil para você ou você pode manter algo positivo que lhe servirá para futuras histórias de ficção?

LM: Eu acho que todos podemos ficar com algum ensino positivo como resultado da pandemia, embora estejamos passando por um momento muito complicado em todos os níveis. Suponho que, de alguma forma e embora não tenha plena consciência disso, por estar escrevendo um romance histórico, meus sentimentos e experiências se refletem em minhas letras.


O conteúdo do artigo segue nossos princípios de Ética editorial. Para relatar um erro, clique Clique aqui.

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

*

*

  1. Responsável pelos dados: Miguel Ángel Gatón
  2. Finalidade dos dados: Controle de SPAM, gerenciamento de comentários.
  3. Legitimação: Seu consentimento
  4. Comunicação de dados: Os dados não serão comunicados a terceiros, exceto por obrigação legal.
  5. Armazenamento de dados: banco de dados hospedado pela Occentus Networks (UE)
  6. Direitos: A qualquer momento você pode limitar, recuperar e excluir suas informações.

bool (verdadeiro)