Jorge manrique

Frase de Jorge Manrique.

Frase de Jorge Manrique.

Jorge Manrique foi um famoso poeta espanhol da pré-Renascença. Embora não seja clara a data de sua chegada ao mundo, há um consenso que o coloca em Paredes de Nava (atualmente, Castela e Leão) durante o ano de 1440. Em todo caso, o que é inegável é a veia intelectual presente em sua poderoso e influente da nobreza castelhana.

O referido é reforçado pelo facto de o seu tio ter sido o prestigiado poeta Gómez Manrique e o seu pai ser Rodrigo Manrique, Conde de Paredes de Nava. Em sua juventude estudou humanidades e na área militar. Ele até participou com sucesso em vários confrontos militares. Precisamente, em uma dessas escaramuças, popularizou a frase “nem mentira nem arrependimento”.

Uma morte prematura

Apesar de uma morte relativamente prematura, ele teve tempo para se casar com a senhora Guiomar de Castañeda e ter dois filhos: Luir e Luisa. A morte ocorreu em 1479, quando ele tinha apenas 39 anos, durante a guerra de sucessão a favor de Isabel contra Juana la Beltraneja. Hoje ele está enterrado no mosteiro de Uclés.

Obra literária de Jorge Manrique

Grande parte da obra do poeta Paredeño conseguiu transcender o tempo e, com ele, conquistar um lugar na imortalidade. SSeus poemas seguem a linha do irônico e do burlesco, sem esquecer o amor. Sua obra mais famosa é a Elegia Coplas até a morte de seu pai, estimado como um verdadeiro clássico da literatura espanhola.

Contexto

Além de sua morte em plena maturidade biológica, sua dedicação à escrita foi impressionante. Apesar de ter pouco tempo, Manrique teve a oportunidade de escrever muitas obras. Que foram agrupados por acadêmicos em três grupos: amoroso, burlesco e doutrinário. Praticamente todos eles estão dentro dos cânones da poesia de composição da época.

A poética do escritor castelhano consta de cerca de 50 peças. Neles, ele aborda o erotismo por meio de belas alegorias, (por sua vez, isso representou um escândalo). No entanto, ele não deixou de cumprir as convenções linguísticas da poesia provençal. Ou seja, a canção em versos octossílabos, as repetições de palavras e os elementos da guerra na alegoria do amor.

Poemas de amor

Em sua composição, o autor usa a letra do trovador. Além disso, em muitos de seus poemas, ele faz referência à sua vida sentimental privada. Portanto, é uma particularidade que aumenta seu valor como peças históricas (e, claro, acentua seu significado literário).

Poemas menores

Entre os poemas menores de Jorge Manrique, um dos mais conhecidos é Da profissão que fez na ordem do amor (apenas 9 versos). Aqui, ele reflete a devoção ao amado dentro de um esquema religioso que leva em conta os votos de pobreza e obediência.

Outro de seus poemas emblemáticos é Escala amor, nele defende a própria relação amorosa como algo valioso. Igualmente, en Castelo do amor Examine o amor cortês, onde a senhora brilha com seus dons, enquanto seu amante faz o trabalho de admirar essas virtudes.

Composições burlescas

Dentro desse estilo, Jorge Manrique desenvolveu uma ironia intensa e direta. Também, explodiu um Humor negro que nem todos os seus leitores gostaram. Esta linha possui apenas três peças. En Para uma prima dela que estava atrapalhando seus casos de amor, usa o duplo significado para fazer uma comparação entre um amor não correspondido e uma corda desafinada de mesmo nome (primo).

Enquanto isso em Coplas para uma dívida que penhorou um brial na taverna, Manrique faz duras críticas a uma senhora (que falou mal dele). O personagem em questão queria continuar bebendo e deu seu manto como pagamento. O terceiro, Um presente que ele fez para sua madrasta, consiste em 120 versos, portanto, é de longe a mais longa escrita deste tridente.

Coplas até a morte de seu pai

Coplas até a morte de seu pai.

Coplas até a morte de seu pai.

Você pode comprar o livro aqui: Coplas até a morte de seu pai

Origem

Ele os compôs por ocasião da morte do mestre Rodrigo Manrique, seu pai, (vítima de câncer). O poeta manteve uma relação muito próxima com ele, conseqüentemente, sua morte lhe causou grande estrago emocional. Toda a sua dor é mitificada por versos que mesclam tradição e originalidade. Ele os escreveu "quentes", imediatamente após a morte.

Nestes versos, ele se dedica a detalhar os detalhes mais importantes do velório. Igualmente, mostra seu pai em todo o seu heroísmo, como um modelo de virtude e cheio de coragem. Lá, o tema da morte é abordado do geral ao mais humano. Sua publicação ocorreu anos após a morte de Jorge Manrique e tornou-se um clássico da literatura espanhola.

estrutura

Está dividido em três partes:

  • O primeiro Consiste em quatorze estrofes escritas como uma introdução moralizante. Seu núcleo é mais filosófico em tom; aumenta o pequeno valor da vida terrena e a força eterna da morte.
  • Na segunda parte, há quinze estrofes dedicadas ao desaparecimento físico recente de pessoas importantes.
  • O terceiro bloco é dedicado a elogiar tanto a vida de seu pai —Que é descrito como um cavaleiro e guerreiro cristão— personagens romanos já proeminentes.

Por fim, Manrique inicia uma conversa com a morte. Em conjunto, o poeta consegue representar a existência humana mortal da forma mais transitória e para a vida eterna com um signo mais transcendental.

Fragmento de Coplas até a morte de seu pai

III

«Nossas vidas são os rios
que eles vão dar no mar,
o que está morrendo;
lá vão as mansões
direitos para acabar
e consumir;
lá os rios fluindo,
lá os outros halflings
e mais caras,
parentes são iguais
aqueles que vivem por suas mãos
e os ricos.

V

«Este mundo é o caminho
para o outro, o que é roxo
Sem arrependimento;
é melhor ter bom senso
andar neste dia
sem errar.
Partimos quando nascemos,
nós caminhamos enquanto vivemos,
e nós chegamos
no momento em que morremos;
então quando morremos,
Nós descansamos".

O Triângulo Manriqueño

É uma iniciativa lançada no final dos anos 1990 graças aos habitantes da província de Cuenca, em Castilla-La Mancha. É uma homenagem à vida e obra de Jorge Manrique através de um roteiro turístico projetado para celebrar seu legado e destacar seu tempo nesses locais.

Especificamente, O passeio tem três paradas: o Castelo Garcimuñoz, a cidade de Santa María del Campo-Rus e o município de Uclés. No referido castelo foi mortalmente ferido, em segundo lugar morreu e na última paragem recebeu o santo sepulcro.

Marcando o caminho do “renascimento da poesia”

Jorge Manrique é considerado pelos historiadores um expoente muito relevante da literatura espanhola. Quem, devido ao seu estado, reflete o equilíbrio renascentista devido à sua escrita franca, com um estilo humilde, modesto e natural. Onde os vulgarismos só vêm destacar a simplicidade e os recursos retóricos próprios dos poetas do século XV.


O conteúdo do artigo segue nossos princípios de Ética editorial. Para relatar um erro, clique Clique aqui.

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

*

*

  1. Responsável pelos dados: Miguel Ángel Gatón
  2. Finalidade dos dados: Controle de SPAM, gerenciamento de comentários.
  3. Legitimação: Seu consentimento
  4. Comunicação de dados: Os dados não serão comunicados a terceiros, exceto por obrigação legal.
  5. Armazenamento de dados: banco de dados hospedado pela Occentus Networks (UE)
  6. Direitos: A qualquer momento você pode limitar, recuperar e excluir suas informações.