Julio Cesar Cano. Entrevista com o criador do Inspetor Monfort

Fotografia: Julio César Cano. Perfil do Facebook.

Julio Cesar Cano, o criador do inspetor Bartolomeu Monfort, saia do seu quinto caso intitulado Até a morte mente. A série que se passa em Castellón continua após Assassinato na Plaza de la FarolaAmanhã, se Deus e o diabo quiseremQueria que você estivesse aqui y flores mortas. Desta vez, o enredo gira em torno das consequências do confissão de um incendiário e o reencontro de três amigos de infância.

Nascido em 1965, em Capellades (Barcelona), Julio César Cano começou a escrever depois de trabalhar como músico e Gerente de grupos e não fez nada mais do que sucessos em cadeia. Agradeço-lhe muito o tempo e a gentileza que você me deu para Nesta entrevista.

Julio César Cano - Entrevista

  • LITERATURA ATUAL: Você acaba de lançar um novo romance, Até a morte mente. O que você nos diz nele?

JULIO CÉSAR CANO: Neste quinta parcela da série do Inspetor Monfort, tento me colocar no lugar de personagens que ficaram presos no meio do caminho entre a infância e a idade adulta. O romance trata do poder prejudicial que as mentiras têm sobre as pessoas, de que fascínio move um incendiário para acender a chama do infortúnio, da desconhecida profissão de tanatosesteta, que se dedica a vestir os cadáveres para que os seus familiares os possam despedir quase como o eram em vida, e da peregrinação ancestral de um povo para orar a Deus por saúde, paz e chuva.

  • AL: Você pode voltar à memória daquele primeiro livro que leu? E a primeira história que você escreveu?

JCC: Não me lembro, é complicado, mas com certeza seria algo com um tema infantil ou juvenil. Eu li histórias em quadrinhos e quadrinhos, adorei. A primeira história que escrevi também não me lembro. Foi certamente um elaboração extensa para a escola.

  • AL: Qual foi o primeiro livro que mais te impressionou e por quê?

JCC: Eu lembro que eles foram chocantes Romances de Júlio Verne. 20.000 léguas de viagem subaquática o Viagem ao Centro da Terra. Pelos cenários em lugares remotos do mundo que então procurei em um mapa para me colocar na leitura.

  • AL: Quem é seu escritor favorito? Você pode escolher mais de um e de todas as épocas.

JCC: A lista seria interminável, mas vou citar Julio Verne, Jane Austen, Ágata Christie, Arthur Conan Doyle, Mary Shelley ... E alguns contemporâneos: Ian Rankin, Jussi Adler-Olsen, Charlotte Ligação, Pedro Maio, Manuel Vázquez Montalbán ...

  • AL: Que personagem em um livro você gostaria de conhecer e criar?

JCC: Sempre fui fascinado pelo personagem de Sherlock Holmes.

  • AL: Algum hábito especial ao escrever ou ler?

JCC: Não sou maníaco por isso. Uma boa tela de computador ou um notebook adequado, para presbiopia mais do que qualquer coisa. Paz de espírito, um pouco de música, pouco mais.

  • AL: Qual é o seu local e hora preferidos para o fazer?

JCC: Em casa, em qualquer momento, não há problema.

  • AL: Outros gêneros que você gosta?

JCC: Boa literatura, Independente de gênero. Gosto de ler em geral.

  • AL: O que você está lendo agora? E escrever?

JCC: No momento eu li O efeito Marcus, da série Departamento Q, de Jussi Adler-Olsen. Estou preparando as primeiras notas do sexta parcela do inspetor Monfort.

  • AL: Como você acha que é o cenário editorial para tantos autores quantos existem ou querem publicar?

JCC: Escrever é um ato de fé e publicar em uma boa editora é quase um milagre. Felizmente euOs leitores estão cada vez melhores, e isso é um bom sinal. Veremos o que resta depois dos tempos que vivemos.

  • AL: O momento de crise que estamos vivenciando está sendo difícil para você ou será capaz de guardar algo positivo para futuros romances?

JCC: Gosto de fantasiar que o que está acontecendo servirá para vamos ser pessoas melhores, mais solidário e gentil. Mas não está totalmente claro para mim. De qualquer forma, esse é o meu desejo.


O conteúdo do artigo segue nossos princípios de Ética editorial. Para relatar um erro, clique Clique aqui.

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

*

*

  1. Responsável pelos dados: Miguel Ángel Gatón
  2. Finalidade dos dados: Controle de SPAM, gerenciamento de comentários.
  3. Legitimação: Seu consentimento
  4. Comunicação de dados: Os dados não serão comunicados a terceiros, exceto por obrigação legal.
  5. Armazenamento de dados: banco de dados hospedado pela Occentus Networks (UE)
  6. Direitos: A qualquer momento você pode limitar, recuperar e excluir suas informações.

bool (verdadeiro)