Breve análise da «amarelinha» de Julio Cortázar

Os mais jovens que leem este artigo têm certeza de que você está pensando sobre "Amarelinha", o trabalho fundamental de Julio CortázarComo aquele livro "tostón" que os professores de Letras mandam em algum momento do instituto. Aqueles de nós que já passaram por isso, leram obrigatoriamente "Amarelinha" em nossa juventude e depois o lemos novamente (certamente há muitos de nós, eu me incluo) alguns anos depois, percebemos não apenas a importância deste livro na história da literatura, mas também em quão diferente é da maioria.

"Amarelinha", publicado em 1963, é uma referência fundamental da literatura hispano-americana. Seu estrutura de sequência solta permite diferentes leituras e, portanto, diferentes interpretações. Com essa forma de ler, o que Julio Cortázar pretendia era representam o caos, a chance de vida e a relação indiscutível entre o que é criado e a mão do artista que o faz.

Se você ainda não leu "Amarelinha" e você está pensando em fazer, pare aqui, não continue lendo ... Se você não pretende ler, pare também, eu encorajo você a fazer isso ... Depois de terminar, volte e leia o que você quer ... Mas a verdadeira história é escrita por Julio Cortázar.

Analisando «amarelinha»

Antes falávamos que é um trabalho diferente dos outros porque neste implica a participação ativa do leitor. Duas leituras do livro são propostas em um conselho de administração (como o próprio nome sugere, o típico jogo de amarelinha que todos jogamos ocasionalmente). Esse tipo de estrutura rompe com tudo o que está estabelecido no que diz respeito à literatura.

Primeiro livro

O primeiro livro de "Amarelinha" vamos ler em um ordem linear, terminando no capítulo 56. É formado por Duas partes: "Do lado ali" y "Do lado aqui". Em ambos, o enredo ou história essencial do livro é apresentado.

"Do lado ali"

Horacio Oliveira trabalha como tradutor em Paris. Lá ele fundou o Clube com alguns amigos, onde passou o tempo conversando ou ouvindo jazz. Ele mantém uma relação de amor com Lucía, la Maga, uma uruguaia que é mãe de uma criança a quem ela chama de Rocamadour. No entanto, a relação peculiar entre os dois se deteriora. Em uma de suas reuniões, Rocamadour cai morto repentinamente e, como resultado, Lucía desaparece e deixa algumas linhas escritas.

"Do lado ali"Ou seja, esta primeira parte termina com a imagem da amarelinha, fio condutor ao longo do livro que representa a busca do equilíbrio (o céu).

"Do lado aqui"

A ação desta parte do livro se passa na cidade de Buenos Aires. Antes de chegar aqui, Oliveira procura desesperadamente por La Maga em Montevidéu. De volta de barco para a Argentina, ele a confunde com outra mulher.

Uma vez na Argentina, ele volta à amizade com Traveller e conhece sua esposa, Talita, que o lembra de La Maga desde o primeiro momento. Ele vai trabalhar com este casal em um circo e em uma clínica psiquiátrica. Mas Oliveira está sobrecarregado por sintomas progressivos de desequilíbrio mental. Suas confusões o fazem pensar que vê La Maga o tempo todo em vez de Talita. Isso levará a uma crise que o fará pensar em suicídio. Ele tenta cometer suicídio, mas finalmente Traveller e Talita impedem que ele caia da liquidação para um pátio onde uma amarelinha é pintada.

Segundo livro

No segundo livro temos o alternativa de segunda leitura y começa no capítulo 73. Em essência, vamos encontrar novas adições à paisagem, o "Capítulos expansíveis", para a estrutura do enredo descrita anteriormente no livro.

De outros lados

Essas paisagens constituem uma visão mais profunda da mesma realidade, na qual conexões ocultas são reveladas. Mas, além disso, aparecem personagens como Morelli, um velho escritor que o autor usa para apresentar algumas das chaves da amarelinha: romance aberto, fragmentado, perturbador e participativo que reflete o caos da realidade, mas não o ordena nem o explica.

Meu capítulo favorito: Capítulo 7: O beijo

Toco a tua boca, com um dedo toco o canto da tua boca, desenho-o como se saísse da minha mão, como se pela primeira vez a tua boca se abrisse um pouco, e só preciso fechar os olhos desfazer tudo e recomeçar, faço a boca que desejo, a boca que minha mão escolhe e desenha no teu rosto, boca escolhida entre todas, com liberdade soberana escolhida por mim para desenhá-la com a mão no teu rosto, e que por um acaso que não procuro entender coincide exatamente com a tua boca que sorri por baixo daquela que a minha mão te desenha.

Você me olha, de perto, você me olha, cada vez mais de perto e então brincamos de ciclope, olhamos cada vez mais de perto e nossos olhos se arregalam, se aproximam, se sobrepõem e os ciclopes se olham, respirando confusos , as bocas se encontram e lutam com ternura, mordendo-se com os lábios, mal pousando a língua nos dentes, brincando nos seus recintos onde entra e sai um ar pesado com um perfume antigo e um silêncio. Então minhas mãos procuram afundar em seus cabelos, acariciando lentamente a profundidade de seus cabelos enquanto nos beijamos como se estivéssemos com a boca cheia de flores ou peixes, com movimentos vivos, com uma fragrância escura. E se nos mordermos, a dor é doce, e se nos afogarmos em uma breve e terrível respiração simultânea, aquela morte instantânea é bela. E há apenas uma saliva e apenas um gosto de fruta madura, e eu sinto você tremer contra mim como uma lua na água.

Perguntas frequentes sobre o livro "Amarelinha"

Julio Cortázar, autor de amarelinha

Quem é o protagonista da amarelinha?

O protagonista da história é Horácio Oliveira. Ele é um argentino de aproximadamente 40-45 anos. É um homem que sabe muitas coisas e que foi estudar em Paris, mas ainda não estuda. Em vez disso, ele trabalha ajudando a classificar a correspondência.

Sabe-se que ele tem um irmão que mora na Argentina. E que é o típico homem que parece estar sempre à procura de algo (às vezes com a sensação de que já tem o que procura ...).

Quem é o mágico?

A mágica é Lúcia, a outra protagonista desta história. Ele também mora em Paris, mas seu país natal é o Uruguai. Ele tem um filho com um nome estranho: Rocamadour. Ao contrário de Horácio, ela é uma menina que não sabe muito de quase nada, o que a faz sentir-se às vezes um tanto desvalorizada ou pouco próxima dos outros.

Seus pontos fortes são ter muita ternura e ingenuidade, algo que se apaixona a olho nu e que também é invejado por outros personagens secundários do romance. Horácio inveja o mágico por sua capacidade de se aventurar em novas experiências, de se molhar nas brincadeiras e de ter coragem.

Qual é o nome do filho do mago?

Como dissemos no ponto anterior, seu filho se chama Rocamadour, mas seu nome verdadeiro é Francisco. É um bebê de um mês que inicialmente é cuidado por Madame Irene, uma governanta. No final, o menino mora com La Maga e Horacio, e um fato desencadeador ocorre com ele. Esse fato é parte fundamental do romance.

Qual é o gênero do Cortázar?

Essa questão causa grandes "disputas" entre os críticos literários, já que sua obra é difícil de classificar. Ele escreveu romances, mas também poesia; no entanto, Julio Cortázar se destaca por seu realismo mágico. Este gênero é bastante pessoal, vanguardista e sempre "dança" entre o real e o fantástico. Apesar disso, ainda há quem insista em colocá-lo no conhecido boom latino-americano.

Artigo relacionado:
Os melhores livros da literatura latino-americana

O conteúdo do artigo segue nossos princípios de ética editorial. Para relatar um erro, clique Clique aqui.

12 comentários, deixe o seu

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*

  1. Responsável pelos dados: Miguel Ángel Gatón
  2. Finalidade dos dados: Controle de SPAM, gerenciamento de comentários.
  3. Legitimação: Seu consentimento
  4. Comunicação de dados: Os dados não serão comunicados a terceiros, exceto por obrigação legal.
  5. Armazenamento de dados: banco de dados hospedado pela Occentus Networks (UE)
  6. Direitos: A qualquer momento você pode limitar, recuperar e excluir suas informações.

  1.   Facundo dito

    Excelente visão da amarelinha, muito bom, vou dar mais uma informação caso você queira acrescentar, o capítulo 62 da amarelinha continua em um livro, quer dizer, é o início de um livro chamado 62 / modelo para montar, aqui em Buenos Aires Dizemos a rayuelita, espero que esta informação lhe sirva, pois amarelinha tem uma lata por um tempo

  2.   Stefanny dito

    Parece muito bom para mim porque gosto muito de ler e isso foi para dever de casa e agora se eu puder fazer bem a explicação porque li o livro inteiro muito obrigado.

  3.   jes dito

    Eu ja comecei

  4.   Peter dito

    Gostaria de saber em que parte do (contra) romance Holiveira é considerada tradutora.
    Agradecemos antecipadamente.

    M

  5.   Carlos Garcia Garcia dito

    34 anos depois de sua semeadura, o poeta que conheci uma vez na Venezuela, ainda criança, como disse, escrevo algo amarelinha.
    Amarelinha ou esteira.
    (CANÇÃO PARA A VIDA)

    O menino pela mão
    Os primeiros passos já lançados
    Equilibre o tédio
    O torso se dobra, harmonia perfeita
    A figura evoca
    O menino exclama, é a minha vez!
    A vida é a prova, uma e outra vez
    Você terá seus mundos de luz.

    Eu pisei, eu pisei, meu número mágico
    Traga nossos mundos mais perto
    A criança em minha mente é
    Anseia pela infância, deixou a inocência.

    Comece sua vida, amarelinha você é
    No final, descanse, descanse
    Alegrando-se, vá para a escola
    Mestre dos nossos segredos
    Alifafes debulhados, para o abismo eles vão
    Amarelinha subindo
    Sua linha para o infinito vai

    Carlos Garcia. 2016 (+1) / 31/10. Dia internacional do canto internauta.

  6.   O PROFESSOR dito

    as informações apresentadas não estão suficientemente estruturadas, as ideias apresentadas não são claras e concisas, faltam muitas notas básicas para uma melhor compreensão do romance

  7.   Anton Vea Campos (@Antonbvici) dito

    EU GOSTEI DO CORTÁZAR
    EM MEU BLOG EU USO PARA INSERIR ESSES AUTORES E AUTORES QUE PEDAL É PARA DIZER SE A QUALQUER MOMENTO FAZEM UMA BICICLETA APARECER NOS SEUS ESCRITOS
    TAMBÉM CONSTITUI UM MOTIVO (QUE EU ME IMPONTO) PARA LER O TRABALHO INTEIRO SE FOR APROPRIADO
    AO LONGO DO TEMPO VEIO A PRESENÇA DE UMA BICICLETA COMO PROVA DA SENSIBILIDADE DO AUTOR
    A CORTÁZAR TEM ELES E ALGUNS MUITO BONS
    SAUDAÇÕES
    ANTON BV ICI
    MUITO OBRIGADO POR SUAS INFORMAÇÕES E PARABÉNS PELO BLOG
    EU MANTENHO A FOTO DAS BICICLETAS COM ELE
    Vou pendurar e também terei uma memória sua
    NÃO PODE FALAR MESMO SE TENHO QUE PEDALAR ALGO NOVAMENTE EM RAYUELA NAS HISTÓRIAS OU EM HURGAR NAS CRONÓPIAS
    SE ALGUÉM ANIMAR ...

  8.   Nicole dito

    Cortazar é caracterizado pela Literatura Fantástica, não pelo Realismo Mágico !!

  9.   Sebastian Castro dito

    excelente visão de amarelinha, muito bom me parece que é um trabalho diferente dos outros porque nisso implica a participação ativa do leitor.

  10.   Llcordefoc dito

    A verdade é que quando li Amarelinha parecia um livro denso e superestimado. Você me deu uma reviravolta no pensamento, a tal ponto que vou relê-lo na esperança de encontrar aquele caos e aquela cadência de que tanto falam.

  11.   Mariela dito

    Site muito bom !!! A paixão pela literatura é sentida por aqueles que compartilharam estas páginas de orientação. Você sente a generosidade ...
    Muito obrigado.

  12.   Gustavo Woltmann dito

    Como não conhecer a amarelinha e como não conhecer Cortázar como um dos pilares da narrativa da escrita espanhola. Simplesmente um titã do campo. Excelente artigo.
    -Gustavo Woltmann.