Biografia de Octavio Paz

Se tivermos que falar sobre Octavio PazPrimeiro, temos que enquadrá-lo em uma era literária para entender melhor sua obra. Octavio Paz pertenceu à época em que foi feito poesia pós-vanguarda. Se a vanguarda poética foi abandonada nos anos 20, Octavio Paz pertencia ao período posterior a essa vanguarda, que ocorreria nos anos XNUMX. anos 30.

A década de 30 viveu uma época de grande conflito político-social em todo o mundo, o que favoreceu consideravelmente a conscientização dos escritores que viveram naquela época. Assim, autores gostam César Vallejo o Pablo Neruda eles evoluíram para a reumanização de sua poesia. A poesia hispanoamericana, sem obviamente renunciar às conquistas formais da era vanguardista, acentuou ainda mais o seu compromisso com a realidade que se vivia, mas nesta evolução até hoje que vivemos hoje, diversificou-se em caminhos muito diversos e díspares. .

Octavio Paz não foi o único a pertencer a esta época pós-vanguarda mas também poetas como Nicolas Guillén, com seu conhecido como poesia negra, Nicanor Parra com a sua "Antipoemas" y "Artefatos", Doce maria loynaz com a sua "Poesia pura", Imagem de espaço reservado de Eduardo Carranza com a sua classicismo o Ernesto Cardenal, que desde a sua posição de religioso cantou canções de esperança sobre o futuro da humanidade.

Mas enfocando a figura que hoje nos preocupa, façamos esta breve biografia de Octavio Paz: vida e obra.

Vida e obra de Octavio Paz

Octavio Paz nasceu em 1914 na Cidade do México e morreu em 1998 em sua cidade natal.. Foi poeta (como já dissemos), poeta, ensaísta e diplomata mexicano, e se uma coisa se destaca, entre outras coisas obviamente, é que recebeu o Prêmio Nobel de Literatura em 1990. Sua carreira como diplomata lhe permitiria ter a oportunidade de morar na França, onde entrou em contato com o surrealismo. Ele também viajou pelo nosso país, a Espanha, além de conhecer a Índia e o Japão.

A ideologia deste autor sempre esteve ligada à esquerda e por isso foi favorável aos republicanos durante a guerra civil espanhola sobre a qual compôs os versos que compõem a poesia intitulada "Não passaram". Além deste aspecto comprometido, devemos destacar a enorme influência que a filosofia e o pensamento oriental lhe deixaram durante sua estada naquele continente, que se refletiu em sua própria obra.

Ele se entrega a um trabalho em que a preocupação essencial é a linguagem. Sua obra "O arco e a lira" (1956), é um texto fundamental que nos faz compreender a poética deste escritor mexicano: elementos como poesia e poema, linguagem, ritmo, consagração do momento, do agora, do presente, constituem questões obsessivas sobre este ensaio. . Por outro lado, seu trabalho "Pedra do Sol", publicado em 1957, é um dos mais extensos e importantes poemas latino-americanos, onde vários motivos líricos (mundo, relação eu-você, presente, instante, busca, erotismo, ...) se confundem com a reflexão do poeta sobre ele criativo processar. "Branco" (1967) constitui um poema espacial, cuja leitura pode ser feita de diferentes formas, com grande conteúdo erótico e grande preocupação linguística. Sua obra "Passado em claro" (1978) é um itinerário, uma busca que se inicia com a meditação e a calma sobre o próprio processo de escrita.

10 frases de Octavio Paz com as quais sempre o lembraremos

  • «O amor nasce de uma paixão; a amizade de troca frequente e prolongada ».
  • "Erotismo e poesia: o primeiro é uma metáfora da sexualidade, o segundo uma erotização da linguagem."
  • "A imaginação em liberdade transforma o mundo e explode as coisas."
  • “Defender a natureza é defender os homens”.
  • “Em cada encontro erótico há um personagem invisível e sempre ativo: a imaginação”.
  • «Ninguém acredita no seu governo. No máximo, os povos estão resignados.
  • "A poesia deve ser um pouco seca para queimar bem e, assim, nos iluminar e aquecer."
  • "A indiferença do mexicano para com a morte é alimentada por sua indiferença para com a vida."
  • “Sem democracia, a liberdade é uma quimera”.
  • "Uma nação sem eleições livres é uma nação sem voz, sem olhos e sem armas."

O conteúdo do artigo segue nossos princípios de ética editorial. Para relatar um erro, clique Clique aqui.

3 comentários, deixe o seu

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*

  1. Responsável pelos dados: Miguel Ángel Gatón
  2. Finalidade dos dados: Controle de SPAM, gerenciamento de comentários.
  3. Legitimação: Seu consentimento
  4. Comunicação de dados: Os dados não serão comunicados a terceiros, exceto por obrigação legal.
  5. Armazenamento de dados: banco de dados hospedado pela Occentus Networks (UE)
  6. Direitos: A qualquer momento você pode limitar, recuperar e excluir suas informações.

  1.   3333 dito

    a verdade é muito interessante

  2.   gio dito

    muito bem obrigado me ajude no dever de casa 🙂

  3.   orlando octavio dito

    está muito bem