5 sonetos de Federico García Lorca para comemorar seu aniversário.

5 junho de 1898. mais lido poeta espanhol de todos os tempos, Federico Garcia Lorca. Para alguém que é mais prosa do que verso, mais romances e contos do que poemas, no entanto, sou apaixonado por Lorca. A beleza, a força, a essência, o sentimento e o poder de sua palavra alcançam os níveis mais sublimes da poesia na bela língua espanhola. Então, mais um ano eu comemoro o aniversário dele, desta vez com 5 de seus sonetos.

Tudo foi escrito sobre Federico García Lorca. Desnecessário e qualquer palavra ou lembrete de sua vida e obra tão estudado por tantos especialistas. Eu simplesmente escrevo artigos literários aqui onde compartilho ou aprecio o que leio ou sei. E há autores que já são acima de qualquer revisão para sua figura. Lorca é um deles, um dos quais só precisa ser sentido e não lido. Portanto, não vamos atrasar mais o prazer dessa leitura.

5 sonetos

Estes são os 5 escolhidos para evocar a sua memória: Soneto gongorianoFeridas de amorNoite de amor sem dormirSoneto da Doce ReclamaçãoEu quero chorar minha dor e eu te digo...

Soneto gongoriano

Este pombo de Turia que te envio,
com olhos doces e penas brancas,
no louro da Grécia despeje e adicione
chama lenta de amor quando estou parando

Sua virtude cândida, seu pescoço macio,
em lodo duplo de espuma quente,
com um arrepio de geada, pérola e névoa
a ausência de sua boca é marcante.

Passe a mão sobre sua brancura
e você verá que melodia de neve
espalhe em flocos em sua beleza.

Então meu coração noite e dia
prisioneiro na prisão do amor escuro,
ele chora sem ver sua melancolia.

***

Feridas de amor

Esta luz, este fogo devorador.
Este cenário cinza me cerca.
Essa dor por apenas uma ideia.
Essa angústia do céu, do mundo e do tempo.

Esse grito de sangue que decora
lira sem pulso agora, chá lubrificante.
Esse peso do mar que me atinge.
Este escorpião que mora no meu peito.

São guirlandas de amor, o leito dos feridos,
onde sem dormir, sonho com a tua presença
entre as ruínas do meu peito afundado.

E embora busque o cume da prudência
seu coração me dá o vale
com cicuta e paixão pela ciência amarga.

***

Noite de amor sem dormir

A noite os dois com lua cheia,
Comecei a chorar e você riu.
Seu desdém era um deus, minhas reclamações
momentos e pombos em uma cadeia.

Noite para os dois. Cristal de tristeza,
você chorou por distâncias profundas.
Minha dor era um grupo de agonias
em seu coração de areia fraco.

O amanhecer nos uniu na cama,
suas bocas no jato de gelo
de sangue sem fim que derrama.

E o sol entrou pela varanda fechada
e o coral da vida abriu seu ramo
sobre meu coração envolto.

***

Soneto da Doce Reclamação

Tenho medo de perder a maravilha
de seus olhos de estátua, e o sotaque
que a noite me coloca na bochecha
a solitária rosa de sua respiração.

Me desculpe por estar nesta costa
tronco sem galhos; e o que eu mais sinto
é não ter flor, polpa ou argila,
para o verme do meu sofrimento.

Se você é meu tesouro escondido,
se você é minha cruz e minha dor molhada,
se eu sou o cachorro de sua senhoria,

não me deixe perder o que ganhei
e decore as águas do seu rio
com folhas do meu outono alienado.

***

Eu quero chorar minha dor e eu te digo ...

Eu quero chorar minha dor e eu te digo
para que você me ame e chore por mim
em uma noite de rouxinóis,
com uma adaga, com beijos e com você.

Eu quero matar a unica testemunha
pelo assassinato de minhas flores
e transformar minhas lágrimas e meus moletons
em um monte eterno de trigo duro.

Que o novelo nunca acabe
Eu te amo, você me ama, sempre pegando fogo
com sol decrépito e lua velha.

O que você não me dá e não pede a você
Será pela morte, que não sai
nem sombra para a carne trêmula.


O conteúdo do artigo segue nossos princípios de ética editorial. Para relatar um erro, clique Clique aqui.

Um comentário deixe o seu

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*

  1. Responsável pelos dados: Miguel Ángel Gatón
  2. Finalidade dos dados: Controle de SPAM, gerenciamento de comentários.
  3. Legitimação: Seu consentimento
  4. Comunicação de dados: Os dados não serão comunicados a terceiros, exceto por obrigação legal.
  5. Armazenamento de dados: banco de dados hospedado pela Occentus Networks (UE)
  6. Direitos: A qualquer momento você pode limitar, recuperar e excluir suas informações.

  1.   Narcis dito

    Excelente iniciativa… Seria muito útil se eles também o fizessem com autores contemporâneos.
    Selecione poemas e mostre-os, para conhecê-los e se é apropriado comprar seus livros.
    Atenciosamente.
    Narcis