4 escritores galegos contemporâneos que deveriam ser conhecidos

Estou passando alguns dias de férias nas Rías Bajas de Galicia. E já são 21 anos. Gosto de tudo sobre esta terra e, claro, de sua literatura também. Portanto, embora existam muitos, hoje eu reviso 4 dos escritores galegos contemporâneos mais representativo e mais bem sucedido. Eles são Manuel Rivas, Pedro Feijoó, Manel Loureiro e Francisco Narla.

Pedro Feijão

(Vigo, 1975). Feijoó é licenciado em Filologia Galega pela Universidade de Santiago de Compostela. Ele praticou profissionalmente como músico e possui uma intensa carreira como produtor e compositor. Seu primeiro romance, gênero negro e ambientado em Vigo e a ria de Pontevedra Filhos do mar (Os filos do mar), foi finalista do Prémio de Romance Xerais 2011 e foi um fenómeno literário na Galiza.

Seu próximo romance é Filhos do fogo, onde recupera os personagens do anterior.

Manuel Loureiro

(Pontevedra, 1975)

Escritor e advogado, apresentador da Televisão Galega e roteirista. Atualmente colabora no Diario de Pontevedra e ABC. Ele também é um colaborador regular da Cadena SER. Seu primeiro romance, Apocalipse Z: o começo do fim, um thriller de terror, começou como um blog na Internet que o autor escrevia nas horas vagas. Dado o seu sucesso, foi publicado em 2007 e tornou-se um best-seller.

Seus próximos romances, Os dias escuros y A ira dos justoss, foram uma continuação do primeiro. Mas o sucesso definitivo veio para ele em 2013 com O último passageiro, romance de terror com um navio fantasma muito assustador como personagem principal.

Em 2015 ele publicou Brilho, outro romance com tons de preto e horror com uma protagonista que sofre um estranho acidente de trânsito que a deixa em coma. Depois de algumas semanas, e após uma recuperação milagrosa, tudo mudou completamente e alguém começou a perseguir sua casa e família. Além disso, ele deixou uma sequência assustadora que ele não pode controlar.

A obra de Loureiro foi traduzida em mais de dez línguas e publicado em vários países.

Manuel Rivas

(La Coruña, 1957). É o nome com mais longa história e sucesso. leste escritor, poeta, ensaísta e jornalista O galego também escreve artigos para o El País. É também sócio fundador do Greenpeace na Espanha e membro da Real Academia Galega.

Assine títulos como compilações de contos Um milhão de vacas (1989), que ganhou o Prémio da Crítica de Narrativa Galega. OU O que você quer de mim amor? que inclui a história A língua das borboletas, que o realizador José Luis Cuerda levou ao cinema. Rope também fez o filme homônimo de Tudo é silêncio, um romance negro como breu publicado em 2010.

Seu último trabalho, de 2015, é O último dia de Newfoundland, romance que conta a trajetória espanhola desde o pós-guerra e a transição a partir de uma livraria em La Coruña, ameaçada de fechamento.

Francisco narla

(Lugo, 1978)

Outro nome mais que conhecido. leste escritor e comandante de linha aérea ele publicou romances, contos, poesia, ensaios e artigos. Como palestrante, participou de diversos fóruns, como centros universitários e programas de rádio e televisão.

Muito versátil, seus hobbies incluem cozinhar, pesca com mosca, bonsai e moda. Também defende projetos culturais, como lendário, destinada a recuperar, proteger e divulgar a tradição mágica da Galiza.

No 2009, ele publicou seu primeiro romance, o Lobos De centeio. Em 2010 foi Caja preto, que foi relançado em 2015. Em 2012 surpreendeu com  Assegurar, um título histórico que conquistou público e crítica, sendo um dos livros mais vendidos. As aventuras, vicissitudes e viagens do órfão Assur, criado e educado entre cavaleiros e vikings, são uma excelente leitura para este verão.

Em 2013 ele publicou outro histórico, Ronin, que o consolidou como um dos mais versáteis e talentosos escritores do gênero em nosso país. Onde as colinas uivam é sua última obra histórica, com um lobo enorme e extraordinário como protagonista de um conto de caça e vingança ambientado na época de Júlio César. Claro que se tornou outro sucesso novamente.


O conteúdo do artigo segue nossos princípios de ética editorial. Para relatar um erro, clique Clique aqui.

Um comentário deixe o seu

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*

  1. Responsável pelos dados: Miguel Ángel Gatón
  2. Finalidade dos dados: Controle de SPAM, gerenciamento de comentários.
  3. Legitimação: Seu consentimento
  4. Comunicação de dados: Os dados não serão comunicados a terceiros, exceto por obrigação legal.
  5. Armazenamento de dados: banco de dados hospedado pela Occentus Networks (UE)
  6. Direitos: A qualquer momento você pode limitar, recuperar e excluir suas informações.

  1.   loveread24 dito

    Acho cada um deles muito interessante.